terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

O Poder Maçônico por trás da renúncia do Papa Bento XVI



Papa renuncia alegadamente "a luta até a morte entre a Maçonaria e a fé católica"

A renúncia do papa Bento XVI em 28 de Fevereiro é o resultado da "dentro da Igreja,há forças que lutam até a morte entre a fé católica e a Maçonaria", disse à RT o jornalista e pesquisador Daniel Estulin.

O jornalista esclarece que o Vaticano é "um dos principais inimigos de algumas das sociedades secretas mais poderosas do mundo", onde está "a luta entre o Vaticano e o papa, e a Maçonaria", que diz "a Maçonaria é muito infiltrada no Vaticano. " "Todo mundo está lutando pelos mesmos interesses, ganhar o controle do mundo", salienta.

Nas últimas décadas -explica Estulin- os postos mais importantes vem recaindo nas mãos da Maçonaria e o Papa Bento XVI era um "rival muito encômodo",por isso,ele explica,havia forças no Vatiicano que queriam se separar.

"Estulin deixa claro que ele pensou que o papa renuncie 21 dezembro de 2012, uma data que não tem nada a ver com o calendário maia, mas com "o fim de uma era grande." Desistir durante esta data seria "arriscado dadas as circunstâncias e o simbolismo", explica."

Questionado se uma pessoa mais jovem na frente do Vaticano poderia mudar a imagem da instituição, Estulin é cético, pois, afirma que deve mudar é "a compreensão de como o mundo funciona, e isso é um que dificilmente vai entender que o eixo está nas mãos da Maçonaria. " Segundo o jornalista, "ou você destroi e elimina a Maçonaria da igreja, ou o que você vai ter a partir de agora e para o futuro será ainda pior."

Veja o vídeo abaixo:


http://revellationline888.blogspot.com.br/2013/02/o-poder-maconico-por-tras-da-renuncia.html