domingo, 23 de outubro de 2016

Profecia do Rabino Judeu, Judá Ben-Samuel, para 2017 - O Falso Messias (...

Publicado em 13 de ago de 2016
Mais vídeos: https://www.youtube.com/user/adallo100
Meus irmãos, este vídeo é impressionante! O irmão Waltenir Porto fala sobre as profecias de um Rabino, Judá Ben-Samuel, do ano de 1217 D.C., as quais todas se cumpriram, restando apenas uma (1) última profecia a se cumprir.....e pelas contas deverá se realizar agora em 2017!!!
Vale a pena assistir e meditar!!!!

Em 2°Tessalonicenses 2:1-14 está escrito:

"Irmãos, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reencontro com Ele, rogamos a vocês que não se deixem abalar nem alarmar tão facilmente, quer por profecia, quer por palavra, quer por carta supostamente vinda de nós, como se o Dia do Senhor já tivesse chegado. Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição. Este se opõe e se exalta acima de tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, a ponto de se assentar no santuário de Deus, proclamando que ele mesmo é Deus.
Não se lembram de que quando eu ainda estava com vocês costumava lhes falar essas coisas? E agora vocês sabem o que o está detendo, para que ele seja revelado no seu devido tempo. A verdade é que o mistério da iniqüidade já está em ação, restando apenas que seja afastado aquele que agora o detém. Então será revelado o perverso, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá pela manifestação de sua vinda.

A manifestação desse perverso é segundo a ação de Satanás, com todo o poder, com sinais e com maravilhas enganadoras. Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar.
Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira, e sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.

Mas nós, devemos sempre dar graças a Deus por vocês, irmãos amados pelo Senhor, porque desde o princípio Deus os escolheu para serem salvos mediante a obra santificadora do Espírito e a fé na verdade. Deus os chamou para isso por meio de nosso Evangelho, a fim de tomarem posse da glória de nosso Senhor Jesus Cristo.






sábado, 30 de julho de 2016

Elias: Ele foi consolado pelo seu Deus



1, 2. O que aconteceu no dia mais emocionante da vida de Elias?
ELIAS estava correndo na chuva enquanto a noite caía. Ele tinha um longo caminho a percorrer até Jezreel, e não era mais jovem. Mesmo assim, correu sem parar, porque “a própria mão de Jeová” estava sobre ele. A energia que fluía pelo seu corpo sem dúvida era diferente de tudo o que já tinha sentido na vida. Afinal, ele havia acabado de ultrapassar os cavalos que puxavam a carruagem do Rei Acabe. — Leia 1 Reis 18:46.

2 Agora era só ele e a estrada à sua frente. Imagine Elias correndo, com aquela chuva forte batendo em seu rosto, pensando naquele que tinha sido o dia mais emocionante da sua vida. Sem dúvida, foi uma vitória gloriosa para Jeová, o Deus de Elias, e para a adoração verdadeira. O imponente monte Carmelo tinha ficado bem para trás, perdido na escuridão da tempestade. Foi nesse monte que Jeová usou Elias para desferir um poderoso e milagroso golpe contra a adoração de Baal. Centenas de profetas de Baal foram expostos como impostores perversos e merecidamente executados. Depois, Elias orou a Jeová pedindo o fim da seca que afligia a região por três anos e meio. E as chuvas caíram! — 1 Reis 18:18-45.

3, 4. (a) Por que Elias talvez tivesse grandes expectativas enquanto ia a Jezreel? (b) Que perguntas consideraremos?
3 Enquanto corria aqueles 30 quilômetros até Jezreel, Elias talvez tivesse grandes expectativas. Parecia que finalmente havia chegado uma hora decisiva. Acabe teria de mudar! Depois do que esse rei viu, com certeza ele não teria outra opção senão abandonar a adoração de Baal, controlar sua esposa, a Rainha Jezabel, e acabar com a perseguição contra os servos de Jeová.



Elias corre na chuva e ultrapassa a carruagem do Rei Acabe
“Elias . . . foi correr adiante de Acabe até Jezreel”
4 Quando as coisas vão bem para nós, é natural ficarmos confiantes quanto ao futuro. Talvez pensemos que tudo vai continuar melhorando e que até os nossos piores problemas finalmente ficarão para trás. E não seria de admirar se Elias pensasse dessa maneira, afinal ele era um homem “com sentimentos iguais aos nossos”. (Tia. 5:17) Mas, na verdade, os problemas de Elias estavam longe de acabar. De fato, em questão de horas ele ficaria com tanto medo, tão desanimado, que desejaria morrer. Por quê? E como Jeová ajudou esse profeta a recuperar sua fé e coragem? Vejamos.

Uma virada nos acontecimentos

5. Será que Acabe aprendeu a ter mais respeito por Jeová depois dos acontecimentos no monte Carmelo, e como sabemos disso?
5 Quando Acabe chegou ao seu palácio em Jezreel, será que ele mostrou que havia mudado? O relato diz: “Acabe contou então a Jezabel tudo o que Elias tinha feito e tudo sobre como tinha matado todos os profetas à espada.” (1 Reis 19:1) Note que Acabe nem sequer mencionou o Deus de Elias, Jeová. Por ser um homem de mentalidade carnal, ele descreveu aqueles acontecimentos milagrosos em termos estritamente humanos: “O que Elias tinha feito.” Fica claro que ele não tinha aprendido a respeitar a Jeová Deus. E como sua esposa vingativa reagiu?

6. Que mensagem Jezabel enviou a Elias, e qual era o seu significado?
6 Jezabel ficou tão furiosa que enviou a seguinte mensagem a Elias: “Assim façam os deuses e assim lhe acrescentem mais, se nesta hora, amanhã, eu não fizer a tua alma igual à alma de cada um deles!” (1 Reis 19:2) Isso era uma terrível ameaça de morte. Na verdade, Jezabel estava jurando que ela mesma deveria morrer se não matasse Elias no dia seguinte para vingar os profetas de Baal. Imagine a cena naquela noite de tempestade: Elias é acordado de repente em algum alojamento em Jezreel e ouve as palavras aterrorizantes trazidas pelo mensageiro da rainha. Como ele se sentiu?

Vencido pelo medo e pela falta de coragem

7. Como Elias se sentiu diante da ameaça feita por Jezabel, e o que ele fez?
7 Se Elias achava que a guerra contra a adoração de Baal estava para acabar, suas esperanças foram por água abaixo naquele momento. Jezabel estava irredutível. Muitos outros profetas fiéis, amigos de Elias, já tinham sido executados às ordens dela, e agora parecia que ele seria o próximo. Como Elias se sentiu diante da ameaça feita por Jezabel? A Bíblia nos diz: “Ele ficou com medo.” Será que Elias visualizou a morte terrível que Jezabel planejava para ele? Se ele ficou pensando nisso, não é de admirar que tenha sentido medo. Seja como for, Elias ‘foi embora pela sua alma’ — ele fugiu para salvar a vida. — 1 Reis 18:4; 19:3.

Se queremos continuar corajosos, não podemos ficar pensando nos perigos que nos amedrontam
8. (a) Como o problema de Pedro era similar ao de Elias? (b) Que lição podemos aprender do que aconteceu com Elias e Pedro?
8 Elias não foi o único homem de fé a ser vencido pelo medo. Muito tempo depois, o apóstolo Pedro teve um problema similar. Quando Jesus fez com que Pedro andasse com ele sobre as águas, o apóstolo começou a ‘olhar para a ventania’. Então ficou com medo e começou a afundar. (Leia Mateus 14:30.) Assim, o que aconteceu com Elias e Pedro nos ensina uma lição valiosa. Se queremos continuar corajosos, não podemos ficar pensando nos perigos que nos amedrontam. Precisamos nos concentrar na Fonte de nossa esperança e força.

“Basta!”

9. Descreva a viagem de Elias e como ele talvez estivesse se sentindo.
9 O medo fez com que Elias fugisse para o sudoeste. Ele andou uns 150 quilômetros até Berseba, uma cidade perto da fronteira sul de Judá. Deixou seu ajudante ali e entrou no deserto sozinho. O registro diz que ele percorreu o “caminho de um dia”, por isso podemos imaginar Elias saindo ao nascer do sol, pelo visto sem levar nenhuma provisão. Abatido e impelido pelo medo, Elias seguiu caminho, enfrentando o calor causticante daquela região árida e inóspita. À medida que o Sol, em tom avermelhado, mergulhava no horizonte, as forças de Elias se esgotavam. Exausto, ele se sentou à sombra de um arbusto — o que havia de mais parecido a um abrigo naquela terra estéril. — 1 Reis 19:4.

10, 11. (a) Qual o significado da oração que Elias fez a Jeová? (b) Usando os textos citados, descreva os sentimentos de outros servos fiéis de Deus que ficaram abatidos.
10 Desesperado, Elias orou a Jeová pedindo para morrer. Ele disse: “Não sou melhor do que os meus antepassados.” Ele sabia que seus antepassados eram apenas pó e ossos na sepultura. Não podiam fazer nada por ninguém. (Ecl. 9:10) Elias se sentia tão inútil quanto eles. Não é de admirar que tenha clamado: “Basta!” Em outras palavras, por que continuar vivendo?

11 Deveríamos ficar chocados de saber que um homem de Deus ficou tão abatido assim? Não necessariamente. A Bíblia fala de muitos homens e mulheres fiéis que ficaram tão tristes que desejaram morrer — entre esses estão Rebeca, Jacó, Moisés e Jó. — Gên. 25:22; 37:35; Núm. 11:13-15; Jó 14:13.

12. Se algum dia você se sentir muito desanimado, como poderá imitar o exemplo de Elias?
12 Hoje vivemos em “tempos críticos, difíceis de manejar”. Por isso, não nos surpreende que muitos, até mesmo servos fiéis de Deus, às vezes se sintam desanimados. (2 Tim. 3:1) Se você algum dia se sentir assim, siga o exemplo de Elias: derrame seu coração a Deus. Afinal, Jeová é “o Deus de todo o consolo”. (Leia 2 Coríntios 1:3, 4.) Será que ele consolou Elias?

Jeová sustentou seu profeta

13, 14. (a) Como Jeová, por meio de um anjo, mostrou preocupação amorosa por seu profeta deprimido? (b) Por que é consolador saber que Jeová conhece bem cada um de nós, incluindo nossas limitações?
13 Como você acha que Jeová, lá no céu, se sentiu ao ver seu amado profeta debaixo daquele arbusto no deserto suplicando para morrer? O relato nos dá a resposta. Depois de Elias cair no sono, Jeová enviou um anjo. Com um toque suave, o anjo o acordou e disse: “Levanta-te, come.” Elias fez isso, pois o anjo tinha providenciado para ele uma refeição simples — pão quente e água fresca. Será que ele pelo menos agradeceu ao anjo? O relato diz apenas que o profeta comeu, bebeu e voltou a dormir. Será que ele estava tão deprimido que nem conseguia falar? Seja como for, o anjo o acordou pela segunda vez, talvez ao amanhecer. Mais uma vez ele disse a Elias: “Levanta-te, come”, e acrescentou estas palavras tocantes: “Porque a viagem é demais para ti.” — 1 Reis 19:5-7.

14 Graças ao discernimento dado por Deus, o anjo sabia para onde Elias estava indo. Ele também sabia que a viagem era difícil demais para Elias fazer nas suas próprias forças. Como é consolador servir a um Deus que conhece nossos objetivos e limitações melhor do que nós mesmos! (Leia Salmo 103:13, 14.) O que aquela refeição fez por Elias?

15, 16. (a) A nutrição dada por Jeová tornou possível que Elias fizesse o quê? (b) Por que devemos ser gratos pelo modo como Jeová sustenta seus servos hoje?
15 O relato diz: “Levantou-se . . . e comeu e bebeu, e foi indo no poder desta nutrição por quarenta dias e quarenta noites, até o monte do verdadeiro Deus, Horebe.” (1 Reis 19:8) Assim como aconteceu com Moisés uns seis séculos antes e com Jesus quase dez séculos depois, Elias jejuou por 40 dias e 40 noites. (Êxo. 34:28; Luc. 4:1, 2) Aquela refeição não resolveu todos os seus problemas, mas o sustentou de maneira milagrosa. Imagine aquele homem idoso andando com esforço por aquele deserto sem estradas dia após dia, semana após semana, por quase um mês e meio!

16 Jeová também sustenta seus servos hoje, não com refeições milagrosas, mas de uma forma muito mais importante: ele faz provisões espirituais. (Mat. 4:4) Aprender sobre Deus por meio de sua Palavra e de publicações cuidadosamente baseadas na Bíblia nos sustenta em sentido espiritual. Absorver essa nutrição talvez não resolva todos os nossos problemas, mas nos ajuda a suportar o que seria insuportável. Esse alimento espiritual nos conduz à “vida eterna”. — João 17:3.

17. Para onde Elias foi, e por que aquele lugar era importante?
17 Elias caminhou quase 320 quilômetros até finalmente chegar ao monte Horebe (monte Sinai). Aquele era um lugar de grande importância, pois foi ali que Jeová Deus, muito tempo antes, havia aparecido a Moisés no espinheiro ardente por meio de um anjo, e onde mais tarde Jeová havia feito o pacto da Lei com Israel. Ali, Elias se abrigou numa caverna.

Como Jeová fortaleceu e consolou seu profeta

18, 19. (a) Que pergunta o anjo de Jeová fez a Elias, e como ele respondeu? (b) Por que três motivos Elias estava desanimado?
18 No monte Horebe, Elias ouviu a “palavra” de Jeová, pelo visto por meio de um anjo: “Que estás fazendo aqui, Elias?” É provável que essa pergunta tenha sido feita de uma forma gentil, pois Elias a entendeu como um convite para desabafar. E foi isso o que ele fez! Ele disse: “Fui absolutamente ciumento por Jeová, o Deus dos exércitos; pois os filhos de Israel abandonaram o teu pacto, derrubaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada, de modo que só eu fiquei; e estão começando a procurar a minha alma para a tirar.” (1 Reis 19:9, 10) As palavras de Elias revelam pelo menos três motivos para seu desânimo.

19 Primeiro, Elias achava que seu trabalho tinha sido em vão. Apesar de ter sido “absolutamente ciumento” no serviço de Jeová durante anos, colocando o nome sagrado de Deus e Sua adoração acima de tudo, Elias viu que as coisas pareciam estar piorando. O povo ainda não mostrava fé e era rebelde, ao passo que a religião falsa prosperava. Segundo, Elias se sentia sozinho. “Só eu fiquei”, disse ele, achando que era o único homem em Israel que ainda servia a Jeová. Terceiro, Elias estava com medo. Muitos de seus amigos, também profetas, já haviam sido mortos, e ele tinha certeza de que seria o próximo. Não deve ter sido fácil para Elias admitir esses sentimentos, mas ele não permitiu que o orgulho ou a vergonha o impedissem de fazer isso. Por abrir seu coração a Deus em oração, ele deu um excelente exemplo a todos os servos fiéis de Deus. — Sal. 62:8.

20, 21. (a) Descreva o que Elias viu da entrada da caverna no monte Horebe. (b) O que as demonstrações do poder de Jeová ensinaram a Elias?
20 Como Jeová lidou com os temores e as preocupações de Elias? O anjo disse a Elias para ele ficar na entrada da caverna. Ele obedeceu, sem ter ideia do que estava para acontecer. De repente, começou a soprar um vento forte! O som deve ter sido ensurdecedor, pois esse vento era tão forte que partia montes e rochedos. Imagine Elias tentando proteger seus olhos e segurando sua capa rústica de pelo, que batia nele por causa das fortes rajadas de vento. Depois ele teve de lutar para manter o equilíbrio, pois o chão começou a tremer — era um terremoto! Ele mal tinha se recuperado quando surgiu um grande fogo, forçando-o a voltar à caverna para se proteger do calor intenso. — 1 Reis 19:11, 12.


Elias, na entrada da caverna, se protegendo do fogo
Jeová usou seu imenso poder para consolar e encorajar Elias

21 O relato nos traz à atenção que Jeová não estava em nenhuma dessas demonstrações espetaculares do poder da natureza. Elias sabia que Jeová não é um deus mítico da natureza, como Baal, que na ilusão de seus adoradores era considerado o “cavaleiro das nuvens”, ou aquele que trazia as chuvas. Jeová é a verdadeira Fonte de todo o espantoso poder encontrado na natureza, mas ele é muito maior do que qualquer coisa que tenha criado. Nem mesmo os céus físicos o podem conter! (1 Reis 8:27) Como tudo isso ajudou Elias? Lembre-se que ele estava com medo. Com um Deus como Jeová do seu lado, um Deus que tem todo esse imenso poder à disposição, Elias não precisava temer Acabe nem Jezabel. — Leia Salmo 118:6.

22. (a) Como a “voz calma, baixa”, garantiu a Elias que ele tinha muito valor? (b) De quem talvez tenha sido a “voz calma, baixa”? (Veja a nota.)
22 Depois do fogo, veio uma calmaria, e Elias ouviu “uma voz calma, baixa”. Essa voz convidou Elias a falar novamente. Então, pela segunda vez, Elias expressou suas preocupações. * Talvez isso tenha feito ele se sentir mais aliviado. Mas, sem dúvida, Elias se sentiu muito mais consolado com o que aquela “voz calma, baixa”, disse a seguir. Jeová garantiu a Elias que ele tinha muito valor. Como? Deus revelou muitas coisas que faria mais tarde contra a adoração de Baal em Israel. Com certeza, o trabalho de Elias não tinha sido em vão, visto que o propósito de Jeová estava em andamento e nada impediria o seu avanço. Além disso, Elias ainda fazia parte desse propósito, pois Jeová disse para ele retomar seu serviço, dando-lhe instruções específicas. — 1 Reis 19:12-17.

23. De que duas maneiras Jeová ajudou Elias a lidar com sua solidão?
23 Que dizer da solidão que Elias sentia? Jeová fez duas coisas a respeito disso. Primeiro, ele disse a Elias para ungir Eliseu como o profeta que com o tempo o sucederia. Esse jovem se tornaria o companheiro e ajudante de Elias por vários anos. Que provisão prática e consoladora! Segundo, Jeová lhe deu esta emocionante notícia: “Deixei sete mil remanescer em Israel, todos os joelhos que não se dobraram diante de Baal e toda boca que não o beijou.” (1 Reis 19:18) Elias não estava sozinho! Ele deve ter ficado muito feliz de saber que milhares de pessoas fiéis tinham se recusado a adorar Baal. Elas precisavam que Elias continuasse seu serviço fiel e fosse um exemplo de lealdade inabalável a Jeová naqueles tempos difíceis. Elias deve ter ficado profundamente emocionado de ouvir aquelas palavras do representante de Jeová, a “voz calma, baixa”. Para Elias, era como se o próprio Deus tivesse falado com ele.

A Bíblia pode ser como aquela “voz calma, baixa”, se permitirmos que ela nos oriente hoje
24, 25. (a) Em que sentido podemos escutar a “voz calma, baixa”, de Jeová hoje? (b) Por que podemos ter certeza de que Elias aceitou o consolo que Jeová lhe deu?
24 Assim como Elias, talvez fiquemos assombrados com as impressionantes forças da natureza evidentes na criação. E isso é natural, pois a criação reflete de forma clara o poder do Criador. (Rom. 1:20) Jeová ainda tem prazer em usar seu poder ilimitado para ajudar seus servos fiéis. (2 Crô. 16:9) No entanto, Deus fala conosco mais plenamente por meio das páginas de sua Palavra, a Bíblia. (Leia Isaías 30:21.) Em certo sentido, a Bíblia pode ser como aquela “voz calma, baixa”, se permitirmos que ela nos oriente hoje. Em suas valiosas páginas, Jeová nos corrige, encoraja e garante seu amor.

25 Será que Elias aceitou o consolo que Jeová lhe deu no monte Horebe? Com certeza! Em pouco tempo, aquele profeta corajoso e fiel, que havia lutado contra a religião falsa, estava de volta à ação. Se também dermos atenção às palavras inspiradas de Deus, o “consolo das Escrituras”, conseguiremos imitar a fé de Elias. — Rom. 15:4.

Fonte:https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/verdadeira-fe/profeta-elias-foi-consolado/







sexta-feira, 29 de julho de 2016

O Apocalipse de Elias




CAPÍTULO 1



1 E veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

2 Filho do homem, diz a esse povo: Porque acumulais pecado sobre pecado e provocais a ira do Senhor Deus, que é o vosso Criador? Não ameis ao mundo nem às coisas que nele há, porque o amor do mundo e sua corrupção procedem do diabo.

3 Lembrai-vos de que o Senhor da Glória e Criador de todas as coisas teve misericórdia de vós, para que não pereçais com essa era.

4 Por muitas vezes tem o diabo desejado que o sol deixe de brilhar sobre a terra, a fim de que não produza mais os seus frutos. Porque ele quer destruir aos homens tal como o fogo que devora a palha; e como a água do abismo pretende tragá-los.

5 Mas isso é porque o Deus da Glória se apiedou de vós, enviando o seu Filho ao mundo para salvar-vos da condenação.

6 Não recomendou estas coisas a nenhum anjo, arcanjo ou potestade, antes se tornou homem e veio para nos salvar.

7 Porquanto somos seus filho, e Ele é o nosso Pai.

8 Lembrai-vos de que Ele vos tem preparado coroas e tronos que vos aguardam nos céus. “O Senhor diz: Porque àquele que vencer será dado uma coroa e um trono.

9 Além do mais, escreverei o meu nome na sua testa, e marcarei a sua destra,e nunca mais sentirá sede ou terá fome;

10 E os filhos da desobediência jamais terão poder sobre ele; os Tronos não lhes baterão as portas, antes com os anjos se alegrarão e rumarão à minha cidade.

11 Mas os pecadores serão envergonhados; os Tronos lhes fecharão o caminho, a fim de que sejam atormentados pelos anjos da morte.

12 Pois no céu não são conhecidos pelos anjos de Deus, a na morada do Altíssimo são estranhos.

13 Por isso, escutem, sábios da terra, e estejam atentos contra os impostores, pois abundarão entre vós no fim dos tempos. Ensinarão coisas que não procedem de Deus, e, abandonando a Lei de Deus, farão do ventre o seu deus, e dirão: “É inútil jejuar; Deus não quer que jejuemos.”

14 Fizeram-se estranhos à aliança divina, e ainda assim julgam-se participantes das gloriosas promessas. Tais homens não se firmam na verdade, portanto, não vos deixeis por eles enganar.

15 Lembrai-vos de que Deus, ao criar os céus, estabeleceu um jejum, a fim de que nós, pela tendência que temos para as coisas más desta vida, não nos deixemos por elas iludir, e é por meio desse jejum que combatemos a chama das paixões pecaminosas.

16 Mas assim nos tem dito o Senhor: “Eis que tenho ordenado um jejum que me agrada.

17 O homem que jejua continuamente jamais incorrerá no pecado da inveja ou na contenda.

18 Portanto, deixai que jejue aquele que é puro. Mas se alguém jejua, não tendo um coração puro, provoca a Deus e aos anjos.

19 Assim fará ele mal à sua alma, acumulando a ira até o dia do juízo.

20 Eu determinei um jejum que é puro ao que são puros de coração e limpos de mãos

21 Os que assim procedem, perdoam pecados, curam enfermidades e expelem os demônios.

22 Sua oração é aceita diante do trono de Deus, como sacrifício de cheiro suave pelos pecados dos transgressores.

23 Por acaso há entre vós algum trabalhador que se dirija ao campo sem levar consigo as suas ferramentas? Ou poderá alguém se alistar para a guerra sem que tome para si uma couraça?

24 Correrá o risco de ser ferido pelo inimigo e ir à morte por haver negligenciado as recomendações do rei?

25 Assim também inútil vos será entrar no lugar santo com um coração oscilante.

26 Se alguém se dirige a Deus em oração e não tem um coração sincero é certo que ainda esteja em trevas e permaneça desconhecido diante dos anjos.

27 Mas se o vosso coração permanece em Deus, então aqueles que são seus vos reconhecem.





CAPÍTULO 2


1 Porque assim diz o Senhor: “Eis que os reis da Assíria, a destruição dos céus e da terra e do que está debaixo da terra, não prevalecerão sobre aqueles que são meus; eles não terão assombro no dia da guerra”.

2 Quando virdes que do Norte surgiu um rei, o qual será chamado rei da Assíria e da injustiça, então virá a guerra sobre o Egito e ali se instalará a tribulação.

3 Haverá lamento sobre a terra, porquanto os vosso filhos vos serão arrebatados.

4 Naquele dia os homens desejarão a morte, mas ela fugirá deles.

5 Então um rei surgirá no Ocidente, e o chamarão de o rei da paz.

6 Ele marchará sobre o mar, rugindo como um leão.

7 Abaterá ao rei da Assíria, e contra o Egito se levantará com guerra, e muito sangue há de ser derramado.

8 Naqueles dias será assinado um enganoso acordo de paz no Egito.

9 Muitos dos santos acreditarão nessa paz, porquanto lhes será dito: “Deus é o Senhor de todos!”

10 Com lisonjas serão exaltados os santos, e Jerusalém há de ser elevada; presentes valiosos lhe serão dados e até o seu templo se beneficiará.

11 Esse rei procederá com astúcia desde o Egito, mas de imediato ninguém o perceberá.

12 Contará todas as religiões que há no mundo e classificará os deuses aos quais elas servem, somará as suas riquezas e depois elegerá a cada um de seus líderes.

13 Ordenará que os cientistas e todos os maiorais da terra sejam levados à capital do mundo, dizendo-lhes: “Agora haverá apenas uma língua!”

14 Então se dirá em todo o mundo: “Paz e contentamento!

15 E eis que aqui vos digo os sinais pelos quais será ele identificado:

16 Ele tem dois filhos que estão à sua direita e à sua esquerda. Aquele que está à sua direita tem a aparência de um demônio e se levantará contra o nome do Senhor.

17 Desse rei surgirão quatro reinos, e aos trinta anos de idade ele subirá ao Egito para construir um santuário.

18 Seu próprio filho se levantará contra ele e o matará; então toda a terra ficará agitada.

19 Naquele dia ele promulgará um decreto em todo mundo, dizen-do: “Agora, devolver-me-eis em dobro todos os presentes e benefícios que o meu pai vos deu!”

20 Fechar-se-ão as portas dos santuários das religiões, suas casas serão confiscadas e seus filhos irão para a prisão.

21 Determinará que se ofereçam sacrifícios abomináveis e provocará calamidade na terra.

22 Surgirá debaixo do sol e da lua, e os líderes religiosos do mundo rasgarão as suas roupas.
23 Ai de vós, cabeças do Egito que existirdes naqueles dias! O vosso tempo já é consumado. A violência feita aos pobres será recobrada de vós, porquanto vossos filhos serão levados como reféns.

24 Naquele dia o Egito se lamentará, porquanto nas suas ruas não mais se ouvirá a voz daquele que compra ou daquele que vende.

25 Os mercadores do Egito se cobrirão de vergonha, ao mesmo tempo em que chorarão os seus habitantes; suplicarão pela morte, mas a morte não lhes virá.

26 Subirão às rochas e se atirarão, dizendo: “Caiam sobre nós!” Mas nem assim morrerão.

27 Naquele, dia duas tribulações sobrevirão ao mundo: Porque o rei ordenará que as mulheres paridas sejam atadas e arrastadas à sua presença, a fim de que dêem a mamar às serpentes, para que o sangue seja espremido de seus peitos para servirem de veneno às suas flechas.

28 Não haverá muitos soldados para a guerra, por isso se ordenará que meninos de doze anos sejam alistados, a fim de que aprendam a usar o arco e a flecha.

29 Nesse tempo se lamentarão as parteiras da terra, e a mulher que tem filhos elevará os olhos ao céu, dizendo: “Por que me sentei na cadeira de parir e trouxe filhos ao mundo?”

30 Mas as estéreis e as virgens se alegrarão, dizendo “Agora compreendemos que é hora de nos alegramos por não havermos posto filhos no mundo; nossos filhos estão no céu.”

31 Naquele tempo se levantarão três reis na Pérsia, eles tomarão aos judeus que estão no Egito e os transportarão para Jerusalém e ali permanecerão.

32 Mas se ouvirdes que há segurança em Jerusalém, então ó sacerdotes, rasgai as vossas roupas, pois terá chegado o tempo em que o Filho da perdição há de se manifestar.
33 Esse homem ímpio se revelará no lugar santo. Fugirão os reis da Pérsia e da Assíria; haverá uma guerra de quatro reinos contra três.

34 Três anos permanecerão ali, até que possam botar as mãos nos tesouros do templo.

35 Naquele, dia o sangue correrá desde Kôs até Mênfis. O Nilo se converterá em sangue, e por três dias ninguém poderá beber das suas águas.

36 Ai daqueles que habitam no Egito!

37 Naquele tempo, um rei aparecerá naquela que é chamada de “Cidade do Sol”. A terra se lamentará ao ver que ele se dirige para Mênfis.

38 No sexto ano dos reis da Pérsia, ele armará uma cilada em Mênfis; aos reis da Assíria matará. Os persas, porém, se vingarão na terra.

39 Ordenará que todos os gentios e ateus sejam executados, e que sejam saqueados os templos e que matem aos sacerdotes; mas ao templo de Jerusalém beneficiará.

40 Dois presentes dará à casa do Senhor, e dirá: ”Deus é um só!”

41 O mundo inteiro adorará aos persas. Por esse motivo, aqueles que tiverem escapado da destruição, hão de dizer: “Verdadeiramente esse é o rei da justiça, o qual Deus nos enviou, a fim de que a terra não seja convertida em um deserto.”

42 Durante três anos e meio nada exigirá dos homens e a terra se encherá de todas as riquezas.

43 Então os que estiverem vivos irão aos cemitérios e dirão aos seus mortos: “Erguei-vos, e vinde participar desta paz!”




CAPÍTULO 3


1 Mas ao quarto ano desse rei, aparecerá o Filho da Impiedade, e dirá:”Eu Sou o Cristo!” Mas estará mentindo; portanto, não o creiais.

2 Porque quando vier o Cristo, há de aparecer como uma pomba, e rodeado por uma coroa de pombas, e descerá sobre as nuvens do céu precedido pelo maravilhoso sinal da cruz.

3 O mundo inteiro o contemplará, pois surgirá como o sol, pelo que será visto desde o Oriente até ao Ocidente. Eis que virá, e todos os seus anjos com Ele.


4 Nesse tempo estará o Iníquo instalado no lugar santo. Ele dirá ao sol: “Põe-te! E o sol se porá. Se disser ao sol: “Resplandece!”Eis que ele resplandecerá. E se disser: “Apaga-te!”Eis que ele se apagará.

5 E se à lua disser: “Em sangue te converterás!” Ela imediatamente o fará.

6 Eis que poderá elevar-se até os astros, e sobre as águas caminhar como se fora em terra seca.

7 Por meio de seus milagres os paralíticos andarão, os surdos ouvirão, os mudos falarão e os cegos poderão enxergar.

8 Purificará aos leprosos e as enfermidades curará, e até aos demônios ele expulsará.

9 Eis que fará muitos milagres e prodígios na presença dos homens; poderá imitar o Messias em tudo, a não ser pelo fato de não possuir o poder de ressuscitar os mortos.

10 Nisto sabereis que ele é o Filho da Impiedade, pois que não tem o poder de conceder a vida.

11 Eis que agora vos direi quais são os sinais que o identificam, para que possais reconhecê-lo:

12 Ele é um homem pálido com as pernas finas, é alto e tem uma grande mecha cinzenta na parte frontal da cabeça; suas sobrancelhas chegam às orelhas, e no dorso de sua mão há uma mancha de lepra.

13 Tem o poder de se transfigurar diante dos homens; ora poderá ser um velho, ora poderá parecer um menino. Todas as suas características poderão ser alteradas, menos a mecha cinzenta e as sobrancelhas.

14 Nisto sabereis que ele é o Filho da Perdição.




CAPÍTULO 4


1 Uma jovem de nome Tabita ficará sabendo que um homem imoral terá se apresentado no templo. Então ela se vestirá com uma roupa de linho e o perseguirá na Judéia.

2 Ela o encontrará no caminho de Jerusalém e o acusará, dizendo: “Homem despudorado e Filho da Perdição. Tu és o inimigo de todos os santos!”

3 Então ele se voltará contra a virgem e a perseguirá até ao Ocidente, e numa tarde a matará e beberá o seu sangue, derramando-o no templo para que sirva de remédio às pessoas.

4 Mas ao amanhecer, ela ressuscitará e outra vez o condenará, dizendo: “Ah, homem imoral! Tu não tens nenhum poder sobre o meu corpo ou sobre a minha alma, pois sirvo ao meu Senhor.”

5 Ademais, ela seguirá dizendo: “Tu derramaste meu sangue no templo e ele se fez cura para os homens.”

6 Mas Elias e Enoque saberão que o Imoral terá aparecido no templo, pelo que descerão para combatê-lo, e dirão:

7 “Não te envergonhas de te fazeres passar por santo, tu que és um profano? Tu és inimigo tanto dos que habitam no céu como dos que vivem na terra.

8 Sempre foste inimigo dos tronos e de todos os anjos; tu és profano. Foste uma estrela da alva, mas caíste; tua morada abandonaste e a tua ordem deixaste pare te tornares em trevas.

9 És um diabo, e nem assim te envergonhas de entrar na casa de Deus!”

10 O homem impudico ouvirá estas coisas e ficará muito furioso. Ele entrará em combate com os profetas no centro comercial da grande cidade. Durante três horas combaterão, e os profetas serão derrotados e cairão mortos.

11 Seus corpos estarão expostos como troféus no centro comercial da grande cidade durante três dias e meio para que todos os homens os vejam.

12 Mas ao quarto dia eles ressuscitarão, e se levantarão contra o Iníquo, dizendo: “Homem imoral e Filho da Perdição! Não te envergonhas de fazeres desviar o povo escolhido? Não entendeste ainda que a nossa vida está no Senhor, e que podemos resistir-te a cada vez que disseres: “Eu dominarei sobre todos?”

13 Assim, toda a cidade se ajuntará ao redor das duas testemunhas. Nesse dia eles subirão ao céu, brilhando como estrelas aos olhos de todos, e todos os povos os verão.

14 O Homem do pecado não terá poder contra eles. Então se voltará furioso contra as nações e contra o povo cometerá grande pecado.

15 Então os líderes religiosos do mundo serão perseguidos, e juntamente com seus fiéis hão de ser conduzidos à sua presença. Ele os matará e ordenará que lhes arranquem os olhos com farpas de ferro.

16 Depois disso ele lhes arrancará o couro cabeludo, bem como todas as unhas; uma por uma as arrancará, e ainda determinará a que lhes seja derramado vinagre e barrela em suas narinas.

17 Aqueles que não quiserem suportar as torturas desse rei terão de ajuntar as suas riquezas e fugir pelos vaus dos rios até ao deserto. Mas se acontecer de morrerem, estarão como os que dormem. Porém, o Senhor é quem receberá as suas almas.

18 Suas carnes se tornarão tão duras quanto as rochas, de modo que nem as aves ou as feras da terra as poderão comer até que venha o grande dia do juízo.

19 Então eles se levantarão e terão o seu lugar de descanso; mas uma coisa deve ser dita: a estes não será concedido que reinem com o Cordeiro, pois apenas aqueles que derem a vida pela Sua causa é que poderão tomar assento à sua destra, como Ele mesmo o disse:

20 “Eles venceram ao Filho da Iniqüidade, e por isso receberão tronos e coroas”.

21 Naquele dia hão de ser escolhidos sessenta homens perfeitos, aptos para usar a armadura de Deus. Eles seguirão para Jerusalém a combater ao Iníquo, dizendo: “Eis que tens realizados todos os milagres que os profetas operaram, mas não podes ressuscitar aos mortos, já que não tens poder para dar a vida. Nisto sabemos que és o Filho do Diabo.”

22 O Imoral ouvirá isso e ficará furioso. Ele ordenará que se apanhem a estes homens justos e os amarrem para que sejam queimados sobre o altar.





CAPÍTULO 5


1 Quando isso acontecer, muitos ficarão surpresos e reconhecerão seus erros, então exclamarão: “Ele não é o nosso Messias! Eis que o Ungido de Deus jamais assassinaria aos justos, nem perseguiria aos homens piedosos, antes tentaria convertê-los por meio de seus milagres”.

2 Mas o Messias terá misericórdia deles e do céu enviará quatro mil e seiscentos anjos, sendo que cada um deles terá seis asas. A voz de seus cânticos faz estremecer a terra quando bendizem ao nome do Senhor.

3 Todos aqueles que tiverem o nome do Ungido escrito em suas testas, e a marca do penhor em suas destras, sejam eles grandes ou pequenos, hão de ser amparados sob suas asas durante aqueles dias de ira.

4 Gabriel e Uriel formarão uma coluna de luz para conduzi-los pela cidade de Deus. Eles lhes darão a comer do fruto da árvore da vida e lhes dará vestes brancas; sim, os anjos os protegerão. Nunca mais terão sede ou fome, e o Filho da Perdição não terá poder sobre eles.

5 Nesse tempo serão sacudidos os fundamentos da terra, pois o espírito da paz se ausentará do mundo.

6 As árvores serão arrancadas pelas raízes, todos os animais selvagens e todo o gado serão mortos mediante a destruição que há de vir, e até as aves do céu cairão mortas.

7 Haverá grande seca na terra e até o mar ficará minguado.

8 Os moradores da terra se lamentarão e recorrerão ao Iníquo, di-zendo-lhe: “Por que fizeste-nos esse mal em nos dizer que eras o Messias de Deus, quando na realidade és um demônio?”

9 “Como poderá salvar-nos, se não podes salvar a ti mesmo? Eis que operastes grandes milagres aos nossos olhos e nos fizeste desviar de Deus, e agora, quão desgraçados nos tornamos!”

10 “Desde agora morreremos de fome. Onde haverá algum sinal de qualquer homem justo para que o busquemos? Ou então, onde encontraremos um ensinador que nos possa orientar?”

11 “Fomos desobedientes a Deus e já não podemos escapar da sua ira.”

12 “Temos perfurado no mar e não encontras água; onde antes havia rios cavamos três metros, mas nem assim obtivemos êxito”.

13 Então o Iníquo exclamará, e chorando, dirá: “Ai de mim, pois o meu tempo se esgotou! Logo eu que na minha arrogância havia dito que reinaria para sempre!”

14 “Eis que os meus anos se passaram como meses, e os meus dias se foram como o pó que o vento espalha. Vêde que como vós, eu também pereço!”

15 “Persegui-os até o deserto; lançai mão desses desordeiros e matai-os. Se matardes aos santos, a terra voltará a dar os seus frutos; foi por causa deles que o sol deixou de brilhar e sobre a terra já não cai o orvalho.”

16 Os moradores da terra então lhe dirão: “Por tua causa nos tornamos inimigos de Deus, agora, se tens algum poder, sobe tu mesmo e persegue-os”.

17 Ele então usará asas de fogo e voará em perseguição aos santos e outra vez entrará em luta com eles.

18 Mas os anjos pelejarão pelos santos, e haverá uma grande bata-lha de espadas. A ira se acenderá desde os céus, e um fogo se arderá na terra. Todos os pecadores e até mesmo os diabos serão consumidos como palha.

19 O juízo de Deus é justo.

20 Nesse tempo os montes e a terra darão a sua voz; os caminhos perguntarão entre si: “Acaso ouviste algum som de passos humanos que não sejam de alguém que não seguia para o juízo do Filho de Deus?”

21 Os pecados de cada um hão de ser manifestos nos mesmos lugares em que foram praticados, quer seja às claras, quer seja às escuras.

22 Todos os homens santos e retos contemplarão a condenação dos pecadores, principalmente daqueles que os afligiram.

23 Estes pecadores também verão a recompensa daqueles que servem a Deus, pois de tudo quanto pedirem ser-lhe-á dado multiplicadamente pelo Senhor.

24 Os céus e a terra serão julgados pelo Senhor. Ele julgará aos pastores e requererá o seu rebanho.

25 Elias e Enoque outra vez aparecerão; agora eles abandonam seus corpos corruptíveis e assumem a forma glorificada.

26 Eles combaterão o Homem do pecado e o destruirão antes que abra a boca, pois como o ferro que é brando ao fogo, ele também se derreterá na presença de seus corpos agora gloriosos. Ele morrerá se contorcendo qual serpente que já não pode respirar.

27 Os dois profetas lhe dirão: “Agora hás de perecer, tu e os reis da terra que te deram apoio, pois terminados são os teus dias!”

28 Estes serão lançados no poço do abismo e de lá não sairão, pois estará lacrado com o selo de Deus.

29 Então aparecerá no céu o Messias, e todos os seus santos virão com Ele. Lançará fogo a terra e ela arderá durante mil anos, pois a presença dos pecadores a contaminou e precisa ser purificada.

30 Mas o Senhor fará um novo céu e uma nova terra, onde não há-verá demônios nem morte.

31 Os santos reinarão com o Senhor; poderão subir e desce na companhia dos anjos. Esse reino durará mil anos.







terça-feira, 26 de julho de 2016

YECHEZKEL / EZEQUIEL 18 – A JUSTIÇA DE YHWH



ESTE É UM CAPÍTULO IMPORTANTE QUE NÃO É ENSINADO PELOS LÍDERES RELIGIOSOS NA ÍNTEGRA. ELE É UM PEQUENO RESUMO DA LEI E MOSTRA EXATAMENTE O QUE É A JUSTIÇA DE YAH, ESCLARECENDO QUE CADA INDIVÍDUO É RESPONSÁVEL PELOS SEUS PRÓPRIOS ERROS E NINGUÉM PODE PAGAR PELOS PECADOS DOS OUTROS. VAMOS LER:

YECHEZKEL / EZEQUIEL 18:1 – E VEIO A MIM A PALAVRA DE YHWH, DIZENDO: QUE PENSAIS, VÓS, OS QUE USAIS ESTA PARÁBOLA SOBRE A TERRA DE YISRAEL, DIZENDO:

2 – OS PAIS COMERAM UVAS VERDES, E OS DENTES DOS FILHOS SE EMBOTARAM?

3 – TÃO CERTO COMO EU VIVO, DIZ YHWH, QUE NUNCA MAIS DIREIS ESTA PARÁBOLA EM YISRAEL.

4 – EIS QUE TODAS AS ALMAS SÃO MINHAS; COMO O É A ALMA DO PAI, ASSIM TAMBÉM A ALMA DO FILHO É MINHA: A ALMA QUE PECAR, ESSA MORRERÁ.

5 – SENDO, POIS, O HOMEM JUSTO, E PRATICANDO JUÍZO E JUSTIÇA,

6 – NÃO COMENDO CARNE SACRIFICADA NOS ALTOS, NEM LEVANTANDO OS OLHOS PARA OS ÍDOLOS DA CASA DE YISRAEL, NEM CONTAMINANDO A MULHER DO SEU PRÓXIMO, NEM SE CHEGANDO À MULHER NA SUA MENSTRUAÇÃO;

ESTE VERSO LEMBRA UM ESTATUTO QUE PARECE INSIGNIFICANTE, MAS FAZ PARTE DA LEI E DEVE SER OSERVADO: É PROIBIDO TER RELAÇÕES SEXUAIS QUANDO A MULHER ESTÁ MENSTRUADA. O HOMEM NÃO PODE TOCAR NA SUA ESPOSA DURANTE ESTE PERÍODO, NEM DORMIR NA MESMA CAMA OU TOCAR NA CAMA EM QUE ELA SE DEITA.

7 – NÃO OPRIMINDO A NINGUÉM, TORNANDO AO DEVEDOR O SEU PENHOR, NÃO ROUBANDO, DANDO O SEU PÃO AO FAMINTO, E COBRINDO AO NU COM ROUPA,

ESTE VERSO ADVERTE QUE DEVEMOS DEVOLVER AO DEVEDOR O SEU PENHOR, MAS LEMBRE-SE: SE VOCÊ FEZ DÍVIDAS, VOCÊ TEM QUE PAGAR! YAH NÃO SE AGRADA DA PESSOA QUE NÃO PAGA O QUE DEVE.

8 – NÃO DANDO O SEU DINHEIRO À USURA, E NÃO RECEBENDO DEMAIS, DESVIANDO A SUA MÃO DA INJUSTIÇA, E FAZENDO VERDADEIRO JUÍZO ENTRE HOMEM E HOMEM;

9 – ANDANDO NOS MEUS ESTATUTOS, E GUARDANDO OS MEUS JUÍZOS, E PROCEDENDO SEGUNDO A VERDADE, O TAL JUSTO CERTAMENTE VIVERÁ, DIZ YHWH.

ENTÃO, VOCÊ NÃO PRECISA QUE NINGUÉM MORRA PARA PAGAR PELOS SEUS PECADOS. BASTA QUE GUARDE A LEI DE YAH, AGINDO CORRETAMENTE DIANTE DOS OLHOS DELE.

10 – E SE ELE GERAR UM FILHO LADRÃO, DERRAMADOR DE SANGUE, QUE FIZER A SEU IRMÃO QUALQUER DESTAS COISAS;

11 – E NÃO CUMPRIR TODOS AQUELES DEVERES, MAS, ANTES, COMER CARNE SACRIFICADA NOS ALTOS, CONTAMINAR A MULHER DO PRÓXIMO,

12 – OPRIMIR AO POBRE E NECESSITADO, PRATICAR ROUBOS, NÃO TORNAR O PENHOR, E LEVANTAR OS SEUS OLHOS PARA OS ÍDOLOS, E COMETER ABOMINAÇÃO,

13 – E EMPRESTAR COM USURA, E RECEBER DEMAIS, PORVENTURA VIVERÁ? NÃO VIVERÁ. TODAS ESTAS ABOMINAÇÕES ELE FEZ, CERTAMENTE MORRERÁ; O SEU SANGUE SERÁ SOBRE ELE.

14 – E EIS QUE TAMBÉM, SE ELE GERAR UM FILHO QUE VEJA TODOS OS PECADOS QUE SEU PAI FEZ E, VENDO-OS, NÃO COMETER COISAS SEMELHANTES,

15 – NÃO COMER SOBRE OS MONTES, E NÃO LEVANTAR OS SEUS OLHOS PARA OS ÍDOLOS DA CASA DE YISRAEL, E NÃO CONTAMINAR A MULHER DE SEU PRÓXIMO,

16 – E NÃO OPRIMIR A NINGUÉM, E NÃO RETIVER O PENHOR, E NÃO ROUBAR, DER O SEU PÃO AO FAMINTO, E COBRIR AO NU COM ROUPA,

17 – DESVIAR DO POBRE A SUA MÃO, NÃO RECEBER USURA E JUROS, CUMPRIR OS MEUS JUÍZOS, E ANDAR NOS MEUS ESTATUTOS, O TAL NÃO MORRERÁ PELA INIQÜIDADE DE SEU PAI; CERTAMENTE VIVERÁ.

18 – SEU PAI, PORQUE PRATICOU A EXTORSÃO, ROUBOU OS BENS DO IRMÃO, E FEZ O QUE NÃO ERA BOM NO MEIO DE SEU POVO, EIS QUE ELE MORRERÁ PELA SUA INIQÜIDADE.

19 – MAS DIZEIS: POR QUE NÃO LEVARÁ O FILHO A INIQÜIDADE DO PAI? PORQUE O FILHO PROCEDEU COM RETIDÃO E JUSTIÇA, E GUARDOU TODOS OS MEUS ESTATUTOS, E OS PRATICOU, POR ISSO CERTAMENTE VIVERÁ.

20 – A ALMA QUE PECAR, ESSA MORRERÁ; O FILHO NÃO LEVARÁ A INIQÜIDADE DO PAI, NEM O PAI LEVARÁ A INIQÜIDADE DO FILHO. A JUSTIÇA DO JUSTO FICARÁ SOBRE ELE E A IMPIEDADE DO ÍMPIO CAIRÁ SOBRE ELE.

ESTE VERSO MOSTRA COMO A JUSTIÇA DE YAH É PERFEITA. NINGUÉM PODE PAGAR PELOS PECADOS DOS OUTROS. SE VOCÊ ENSINA AO SEU FILHO O CAMINHO DEVE ANDAR, MAS MESMO CIENTE DO QUE É CERTO E O QUE É ERRADO, ELE DECIDE FAZER O QUE NÃO DEVE, VOCÊ NÃO TEM CULPA E NÃO DEVE PAGAR POR ISSO. DA MESMA FORMA, SE O SEU PAI COMETEU ERROS, VOCÊ NÃO TEM CULPA E NÃO DEVE PAGAR POR ISSO.

NESTES VERSOS, YAH DEIXA CLARO QUE NINGUÉM PODE PAGAR PELOS PECADOS DE NINGUÉM PORQUE ISSO NÃO É JUSTO, ENTÃO, SABEMOS QUE YAH NUNCA TEVE UM FILHO O QUAL ELE ENVIOU A TERRA PARA SE SACRIFICAR PELOS NOSSOS PECADOS. YESHUA / YAHUSHUA / JESUS É UMA FARSA! ISTO ESTÁ EM TOTAL DESACORDO COM O QUE YAH ENSINA EM SUA PALAVRA, QUE É O LIVRO DAS MEMÓRIAS, ERONEAMENTE CONHECIDO COMO ANTIGO TESTAMENTO.

21 – MAS SE O ÍMPIO SE CONVERTER DE TODOS OS PECADOS QUE COMETEU, E GUARDAR TODOS OS MEUS ESTATUTOS, E PROCEDER COM RETIDÃO E JUSTIÇA, CERTAMENTE VIVERÁ; NÃO MORRERÁ.

22 – DE TODAS AS TRANSGRESSÕES QUE COMETEU NÃO HAVERÁ LEMBRANÇA CONTRA ELE; PELA JUSTIÇA QUE PRATICOU VIVERÁ.

23 – DESEJARIA EU, DE QUALQUER MANEIRA, A MORTE DO ÍMPIO? – DIZ YHWH; NÃO DESEJO ANTES QUE SE CONVERTA DOS SEUS CAMINHOS, E VIVA?

24 – MAS, DESVIANDO-SE O JUSTO DA SUA JUSTIÇA, E COMETENDO A INIQÜIDADE, FAZENDO CONFORME TODAS AS ABOMINAÇÕES QUE FAZ O ÍMPIO, PORVENTURA VIVERÁ? DE TODAS AS JUSTIÇAS QUE TIVER FEITO NÃO SE FARÁ MEMÓRIA; NA SUA TRANSGRESSÃO COM QUE TRANSGREDIU, E NO SEU PECADO COM QUE PECOU, NELES MORRERÁ.

TODOS SOMOS PECADORES. A LEI DE YAH É O QUE NOS JUSTIFICA. JUSTO É AQUELE OBEDECE À LEI. A PARTIR DO MOMENTO EM QUE DESOBEDECER, PAGARÁ PELO SEU PECADO.

25 – DIZEIS, PORÉM: O CAMINHO DE YHWH NÃO É DIREITO. OUVI AGORA, Ó CASA DE YISRAEL: PORVENTURA NÃO É O MEU CAMINHO DIREITO? NÃO SÃO OS VOSSOS CAMINHOS TORTUOSOS?

26 – DESVIANDO-SE O JUSTO DA SUA JUSTIÇA, E COMETENDO INIQÜIDADE, MORRERÁ POR ELA; NA INIQÜIDADE, QUE COMETEU, MORRERÁ.

27 – MAS, CONVERTENDO-SE O ÍMPIO DA IMPIEDADE QUE COMETEU, E PROCEDENDO COM RETIDÃO E JUSTIÇA, CONSERVARÁ ESTE A SUA ALMA EM VIDA.

28 – POIS QUE RECONSIDERA, E SE CONVERTE DE TODAS AS SUAS TRANSGRESSÕES QUE COMETEU; CERTAMENTE VIVERÁ, NÃO MORRERÁ.

29 – CONTUDO, DIZ A CASA DE YISRAEL: O CAMINHO DE YHWH NÃO É DIREITO. PORVENTURA NÃO SÃO DIREITOS OS MEUS CAMINHOS, Ó CASA DE YISRAEL? E NÃO SÃO TORTUOSOS OS VOSSOS CAMINHOS?

MUITOS DIZEM QUE NÃO DEVEMOS GUARDAR TODOS OS MANDAMENTOS DE YAH, QUE ALGUMAS DAS LEIS CERIMONIAS NÃO DEVEM SER PRATICADAS… NADA DISSO! A LEI DE YAH DEVE SER PRATICADA EM SUA TOTALIDADE. DEVEMOS APRENDER E OBEDECER À LEI NA ÍNTEGRA. AQUELES QUE BUSCAM A SALVAÇÃO E DESEJAM SERVIR A YAH DA MANEIRA CORRETA, VIVENDO DE ACORDO COM A VONTADE DELE, É BOM SE ACOSTUMAR COM A IDÉIA DE OBEDECER TODOS OS ESTATUTOS E MANDAMENTOS DA LEI DE YAH.

POR ENQUANTO, NÃO ESTAMOS FAZENDO ISSO ATÉ PORQUE ESTAMOS EM CATIVEIRO E MUITOS AINDA NÃO DESPERTARAM, MAS O MASHIYACH QUE AGUARDAMOS VIRÁ EM BREVE E YAH VAI NOS LIBERTAR DO CATIVEIRO E NOS LEVAR DE VOLTA A TERRA DE YISRAEL, MAS JÁ MOSTRAMOS, NOS ÚLTIMOS ESTUDOS, QUE TODOS OS ISRAELITAS SERÃO LIBERTOS DO CATIVEIRO, MAS NEM TODOS PISARÃO NA TERRA DE YISRAEL PORQUE ELA SERÁ RESTAURADA E PURIFICADA E AQUELES QUE NÃO OBEDECEM À LEI, NÃO PODERÃO VIVER ENTRE OS JUSTOS, NA TERRA SANTA.

A LEI DE YAH NÃO FOI ABOLIDA; ELA É PERFEITA E ETERNA, E TUDO O QUE ESTÁ ESCRITO NA LEI DEVE SER OBSERVADO. TODOS OS ESTATUTOS E MANDAMENTOS DEVEM SER OBEDECIDOS. YAH DISSE CLARAMENTE QUE AQUELE QUE OBEDECER TODA A LEI, CERTAMENTE VIVERÁ, MAS AQUELE QUE TRANSGREDI-LA, CERTAMENTE MORRERÁ.

EU NÃO SOU LÍDER RELIGIOSA, NÃO TENHO A MENOR INTENÇÃO DE FUNDAR UMA DENOMINAÇÃO, DE ABRIR UMA IGREJA… NADA DISSO. SIMPLESMENTE QUERO QUE TODOS TENHAM A OPORTUNIDADE DE CONHECER A VERDADE DE YAH, QUE SE ENCONTRA NO TANAKH (O CHAMADO ANTIGO TESTAMENTO) E ESTÁ AO ALCANCE DE TODOS, MAS A GRANDE MAIORIA NÃO LÊ. VÃO Á IGREJA E FICAM DEPENDENTES DOS LÍDERES RELIGIOSOS QUE FAZEM UMA LAVAGEM CEREBRAL EM SUAS CABEÇAS E QUANDO LÊEM AS ESCRITURAS, JÁ COM A MENTE CONDICIONADA, NÃO CONSEGUEM ENXERGAR A VERDADE PORQUE SUA CAPACIDADE DE RACIOCÍNIO E DISCERNIMENTO JÁ ESTÁ AFETADA E DEBILITADA. ENTÃO, EU SÓ QUERO AJUDAR. EU NÃO COBRO NADA PELO QUE FAÇO, NÃO COMERCIALIZO NENHUM TIPO DE PRODUTO, JAMAIS RECEBI QUALQUER TIPO DE COLABORAÇÃO FINANCEIRA DOS LEITORES DO BLOG PARA QUE PUDESSE CONTINUAR COM ESSE TRABALHO, NÃO ALMEJO FAMA E NÃO DESEJO ME PROMOVER, TANTO É QUE NEM COSTUMO MOSTRAR O ROSTO. NÃO BUSCO NENHUM TIPO DE RECONHECIMENTO PESSOAL.

EU ESTOU APENAS CUMPRINDO MINHA MISSÃO. MEUS ÚNICOS OBJETIVOS SÃO DESPERTAR MEU POVO E LEVAR A VERDADE DE YAH PARA TODAS AS NAÇÕES PARA QUE O NOME DE YAH SEJA EXALTADO E SUA SALVAÇÃO ALCANCE TODOS OS POVOS DA TERRA.

EU TENHO USADO TODOS OS MEIOS E RECURSOS, TENHO EMPENHADO TODO O MEU ESFORÇO E TENHO FEITO TUDO O QUE POSSO. O RESTO É COM VOCÊ. CADA UM TEM DIREITO DE TOMAR SUA PRÓPRIA DECISÃO E FAZER SUAS PRÓPRIAS ESCOLHAS, E CADA INDIVÍDUO VAI SER JULGADO DE ACORDO COM A SUA CONDUTA.

30 – PORTANTO, EU VOS JULGAREI, CADA UM CONFORME OS SEUS CAMINHOS, Ó CASA DE YISRAEL, DIZ YHWH. TORNAI-VOS, E CONVERTEI-VOS DE TODAS AS VOSSAS TRANSGRESSÕES, E A INIQÜIDADE NÃO VOS SERVIRÁ DE TROPEÇO.

YAH DISSE QUE VAI NOS JULGAR CONFORME OS NOSSOS CAMINHOS, ENTÃO, NINGUÉM PODE NOS SALVAR MORRENDO PELOS NOSSOS PECADOS. ISSO É MENTIRA. O PROCEDIMENTO É O SEGUINTE: OBEDECE À LEI? SERÁ SALVO! TRANSGRIDE A LEI? NÃO SERÁ SALVO! YAH É O NOSSO ÚNICO SALVADOR E ELE USA ESTE CRITÉRIO. O “SACRIFÍCIO”, QUEM TEM QUE FAZER É VOCÊ MESMO. QUER SER SAVO? OBEDEÇA À LEI. SE VOCÊ ESTIVER REALMENTE DISPOSTO A OBEDECER À LEI DE YAH, NÃO HÁ MOTIVO ALGUM PARA TEMER AS PENALIDADES E A CONDENAÇÃO.

31 – LANÇAI DE VÓS TODAS AS VOSSAS TRANSGRESSÕES COM QUE TRANSGREDISTES, E FAZEI-VOS UM CORAÇÃO NOVO E UM RUACH NOVO; POIS, POR QUE RAZÃO MORRERÍEIS, Ó CASA DE YISRAEL?

32 – PORQUE NÃO TENHO PRAZER NA MORTE DO QUE MORRE, DIZ YHWH; CONVERTEI-VOS, POIS, E VIVEI.

CONVERTA-SE E VIVA PORQUE YAH NÃO MUDA. AS COISAS DE YAH SÃO ETERNAS. QUEM MUDA SOMOS NÓS. O NOVO TESTAMENTO É UMA MUDANÇA. ELE FALA EM NOVA ALIANÇA, INDUZ AS PESSOAS A ACREDITAR QUE A LEI FOI ABOLIDA E QUE, NA GRAÇA, NÃO PRECISAMOS MAIS OBEDECÊ-LA. FALA DE UM HOMEM-DEUS QUE PAGOU PELOS NOSSOS PECADOS E DIZ QUE ELE É O SALVADOR.

QUANDO LEMOS COM DISCERNIMENTO, NOS DAMOS CONTA DE QUE TUDO O QUE ESTÁ ESCRITO NO NOVO TESTAMENTO VAI CONTRA O QUE É DITO NO LIVRO DAS MEMÓRIAS (O CHAMADO ANTIGO TESTAMENTO). ELE ESTÁ EM TOTAL DESACORDO.

O PLANO DE SALVAÇÃO É ÚNICO E ETERNO. YAH NOS DEU A TORAH (INSTRUÇÕES); ELE NOS DEU A LEI E OS MANDAMENTOS PARA NOS SALVAR PORQUE OS SEUS MANDAMENTOS DÃO VIDA ÀQUELES QUE OS CUMPREM.

YECHEZKEL / EZEQUIEL 20:11 – “DEI-LHES OS MEUS ESTATUTOS E LHES FIZ CONHECER OS MEUS JUÍZOS, OS QUAIS, CUMPRINDO-OS O HOMEM, VIVERÁ POR ELES”.

A LEI DÁ VIDA AOS QUE A CUMPREM. QUEM NÃO OBEDECE, ESTÁ ESPIRITUALMENTE MORTO. O POVO DE YISRAEL DESOBEDECEU À LEI E POR ISSO, ESTAMOS DEBAIXO DAS MALDIÇÕES DE DEUTERONÔMIO 28:15-68 E LEVITICO 26:14-46.

COMO PODEREMOS REVERTER ESTA SITUAÇÃO? ARREPENDENDO-NOS DE NOSSOS PECADOS, IMPLORANDO O PERDÃO DE YAH E OBEDECENDO TOTALMENTE À SUA LEI. SOMENTE ASSIM YAH VAI NOS PERDOAR, NOS SALVAR, NOS RESTAURAR E NOS RESTITUIR. SENDO ASSIM, YAH DERRAMARÁ SOBRE NÓS TODAS AS BENÇÃOS DE DEUTERONÔMIO 28:1-14 E LEVITICO 26:3-13. VAMOS LER:

VAYIKRA / LEVÍTICO 26:3 – SE ANDARDES NOS MEUS ESTATUTOS, E GUARDARDES OS MEUS MANDAMENTOS, E OS CUMPRIRDES,

4 – ENTÃO EU VOS DAREI AS CHUVAS A SEU TEMPO; E A TERRA DARÁ A SUA COLHEITA, E A ÁRVORE DO CAMPO DARÁ O SEU FRUTO;

5 – E A DEBULHA SE VOS CHEGARÁ À VINDIMA, E A VINDIMA SE CHEGARÁ À SEMENTEIRA; E COMEREIS O VOSSO PÃO A FARTAR, E HABITAREIS SEGUROS NA VOSSA TERRA.

6 – TAMBÉM DAREI PAZ NA TERRA, E DORMIREIS SEGUROS, E NÃO HAVERÁ QUEM VOS ESPANTE; E FAREI CESSAR OS ANIMAIS NOCIVOS DA TERRA, E PELA VOSSA TERRA NÃO PASSARÁ ESPADA.

7 – E PERSEGUIREIS OS VOSSOS INIMIGOS, E CAIRÃO À ESPADA DIANTE DE VÓS.

8 – CINCO DE VÓS PERSEGUIRÃO A UM CENTO DELES, E CEM DE VÓS PERSEGUIRÃO A DEZ MIL; E OS VOSSOS INIMIGOS CAIRÃO À ESPADA DIANTE DE VÓS.

9 – E PARA VÓS OLHAREI, E VOS FAREI FRUTIFICAR, E VOS MULTIPLICAREI, E CONFIRMAREI A MINHA ALIANÇA CONVOSCO.

10 – E COMEREIS DA COLHEITA VELHA, HÁ MUITO TEMPO GUARDADA, E TIRAREIS FORA A VELHA POR CAUSA DA NOVA.

11 – E POREI O MEU TABERNÁCULO NO MEIO DE VÓS, E A MINHA ALMA DE VÓS NÃO SE ENFADARÁ.

12 – E ANDAREI NO MEIO DE VÓS, E EU SEREI VOSSO ELOHIM, E VÓS SEREIS MEU POVO.

13 – EU SOU YHWH VOSSO ELOHIM, QUE VOS TIREI DA TERRA DOS EGÍPCIOS, PARA QUE NÃO FÓSSEIS SEUS ESCRAVOS; E QUEBREI OS TIMÕES DO VOSSO JUGO, E VOS FIZ ANDAR ERETOS.

ENQUANTO OS ISRAELITAS CONTINUAREM SEGUINDO AS MENTIRAS DO NOVO TESTAMENTO, DESPREZANDO A LEI DE YAH, ADORANDO YESHUA / YAHUSHUA / JESUS E CRENDO QUE ELE É O SALVADOR QUE MORREU NA CRUZ PARA PAGAR PELOS PECADOS DOS OUTROS, VÃO CONTINUAR DEBAIXO DA MALDIÇÃO, MAS QUANDO O POVO DE YISRAEL SE ARREPENDER DOS SEUS PECADOS, IMPLORAR O PERDÃO DE YAH E OBEDECER SUA LEI, ELE VAI NOS PERDOAR E DERRAMAR TODAS ESSAS BENÇÃOS SOBRE NÓS.

DEVARIM / DEUTERONÔMIO 28:1 – E SERÁ QUE, SE OUVIRES A VOZ DE YHWH TEU ELOHIM, TENDO CUIDADO DE GUARDAR TODOS OS SEUS MANDAMENTOS QUE EU HOJE TE ORDENO, YHWH TEU ELOHIM TE EXALTARÁ SOBRE TODAS AS NAÇÕES DA TERRA.

2 – E TODAS ESTAS BÊNÇÃOS VIRÃO SOBRE TI E TE ALCANÇARÃO, QUANDO OUVIRES A VOZ DE YHWH TEU ELOHIM;

3 – BENDITO SERÁS NA CIDADE, E BENDITO SERÁS NO CAMPO.

4 – BENDITO O FRUTO DO TEU VENTRE, E O FRUTO DA TUA TERRA, E O FRUTO DOS TEUS ANIMAIS; E AS CRIAS DAS TUAS VACAS E DAS TUAS OVELHAS.

5 – BENDITO O TEU CESTO E A TUA AMASSADEIRA.

6 – BENDITO SERÁS AO ENTRARES, E BENDITO SERÁS AO SAÍRES.

7 – YHWH ENTREGARÁ, FERIDOS DIANTE DE TI, OS TEUS INIMIGOS, QUE SE LEVANTAREM CONTRA TI; POR UM CAMINHO SAIRÃO CONTRA TI, MAS POR SETE CAMINHOS FUGIRÃO DA TUA PRESENÇA.

8 – YHWH MANDARÁ QUE A BÊNÇÃO ESTEJA CONTIGO NOS TEUS CELEIROS, E EM TUDO O QUE PUSERES A TUA MÃO; E TE ABENÇOARÁ NA TERRA QUE TE DER YHWH TEU ELOHIM.

9 – YHWH TE CONFIRMARÁ PARA SI COMO POVO SANTO, COMO TE TEM JURADO, QUANDO GUARDARES OS MANDAMENTOS DE YHWH TEU ELOHIM, E ANDARES NOS SEUS CAMINHOS.

10 – E TODOS OS POVOS DA TERRA VERÃO QUE É INVOCADO SOBRE TI O NOME DE YHWH, E TERÃO TEMOR DE TI.

11 – E YHWH TE DARÁ ABUNDÂNCIA DE BENS NO FRUTO DO TEU VENTRE, E NO FRUTO DOS TEUS ANIMAIS, E NO FRUTO DO TEU SOLO, SOBRE A TERRA QUE YHWH JUROU A TEUS PAIS TE DAR.

12 – YHWH TE ABRIRÁ O SEU BOM TESOURO, O CÉU, PARA DAR CHUVA À TUA TERRA NO SEU TEMPO, E PARA ABENÇOAR TODA A OBRA DAS TUAS MÃOS; E EMPRESTARÁS A MUITAS NAÇÕES, PORÉM TU NÃO TOMARÁS EMPRESTADO.

13 – E YHWH TE PORÁ POR CABEÇA, E NÃO POR CAUDA; E SÓ ESTARÁS EM CIMA, E NÃO DEBAIXO, SE OBEDECERES AOS MANDAMENTOS DE YHWH TEU ELOHIM, QUE HOJE TE ORDENO, PARA OS GUARDAR E CUMPRIR.

14 – E NÃO TE DESVIARÁS DE TODAS AS PALAVRAS QUE HOJE TE ORDENO, NEM PARA A DIREITA NEM PARA A ESQUERDA, ANDANDO APÓS OUTROS ELOHIM, PARA OS SERVIRES.

ENTÃO, TUDO O QUE DEVEMOS FAZER É NOS ARREPENDER DE NOSSOS PECADOS, ABANDONAR A IDOLATRIA, PEDIR PERDÃO A YAH E OBEDECER À LEI, NA INTEGRA.

ESPERO QUE YAH TE ABENÇOE COM ENTENDIMENTO E TE GUIE EM SEU CAMINHO DA VERDADE E DA JUSTIÇA.

POR YAH JUSTIÇA NOSSA, YERUSHALEM E A SEMENTE KODESH.

BENDITO SEJA YAH, O CRIADOR, REI E ÚNICO SALVADOR DE YISRAEL E DAS NAÇÕES!

PARA YAH SEJA TODA A KAVOD!


FONTE:https://hebreuisraelita.wordpress.com/2013/03/08/yechezkel-ezequiel-18-a-justica-de-yhwh/

quinta-feira, 14 de julho de 2016

A QUEDA DOS ANJOS E A DESMORALIZAÇÃO DA HUMANIDADE



LXXXVI.A QUEDA DOS ANJOS

1. E mais uma vez vi com meus olhos enquanto dormia, e vi o céu acima, e contemplei uma estrela caindo do céu, e ela foi suspensa e comeu e pastou entre aqueles bois.2.E depois disso vi dois bois grandes e pretos, e observei rodos eles mudando seus estábulos e pastos e seus rebanhos,e começaram a viver uns com os outros.3. E mais uma vez tive a visão, e olhei para o céu, e,contemplando, vi muitas estrelas descerem e deixarem o céu atingindo aquela primeira estrela, e elas transformaram-se em touros no meio saquele gado e pastaram com eles (entre eles).4. E olhei para elas e vi, e observei enquanto elas deixavam seus membros particulares,como cavalos, e começaram a cobrir as vacas dos bois, e todas engravidaram e deram à luz elefantes,camelos e jumentos.5. E todos os bois os temiam e sentiam-se amedrontados com eles, e começaram a morder com seus dentes e a devorar, e a ferir com seus chifres.6. E eles começaram,s tremer e a sacudir-se diante deles e a fugir deles.


LXXXVII. O ADVENTO DOS SETE ARCANJOS


1. E mais uma vez vi como eles começaram a ferir-se uns aos outros com seus chifres e a devorar-se uns aos outros, e a terra começou a chorar em voz alta. 2. E ergui meus olhos mais uma vez para o céu, e tive a visão, e ali fiquei observando enquanto vinham do céu seres que eram como homens brancos; e quatro deles saíram daquele lugar e três com eles.3. E aqueles três que tinham vindo por último me agarraram pela mão e me suspenderam,levando-me para bem alto, longe da terra, e todas as montanhas foram rebaixadas.4. E um deles me disse:" Permaneça aqui até começar a ver tudo o que acontece com aqueles elefantes, e jumentos, e as estrelas e os bois, e todos eles."

LXXXVIII. A PUNIÇÃO DOS ANJOS CAÍDOS PELOS ARCANJOS.


1. E vi um daqueles quatro que rinham vindo primeiro, e pegou aquela primeira estrela que tinha caído do céu, e prendeu aquela primeira estrela que tinha caído do céu, e prendeu-a pela mão e pelo pé e a lançou para o abismo; e agora aquele abismo era estreito e profundo, e horrível e escuro.2. E um deles sacou uma espada, e a deu para os elefantes e para os jumentos: então eles começaram a ferir-se uns aos outros, e toda a terra tremeu por causa deles.3. E enquanto eu contemplava aquela visão,veja! Um desses quatro que tinham vindo apedrejou (os) do céu, e reuniu e pegou todas as grandes estrelas cujos membros particulares eram com os saqueles cavalos, e os amarrou todos pelas mãos e pelos pés, e os lançou para um abismo da terra.

DO LIVRO DE ENOQUE:





domingo, 26 de junho de 2016

OS ÚLTIMOS DIAS ... HOJE! Paulo Junior (Pregação Forte)

O Grande Conflito - Trechos



A grande controvérsia entre o bem e o mal há de assumir proporções cada vez maiores até o seu final desenlace. Em todas as épocas a ira de Satanás esteve voltada contra a igreja de Cristo, motivo pelo qual Deus a dotou do Seu Espírito e de Sua graça para que pudesse enfrentar todas as oposições do mal. Ao receberem os apóstolos a incumbência de levar o evangelho até os confins da Terra e escrevê-lo para as gerações futuras, Deus lhes deu a iluminação [12] do Seu Espírito. À medida, porém, que a igreja se aproxima da hora de sua libertação definitiva, Satanás há de agir com redobrada energia.

Ele desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo. Apocalipse 12:12. Ele operará “com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira.” 2 Tessalonicenses 2:9. Durante seis mil anos esse espírito superior, que ocupou outrora lugar preeminente entre os anjos de Deus, tem estado devotado a uma obra de destruição e engano. E toda habilidade e astúcia satânicas adquiridas, toda a crueldade desenvolvida nessa luta de longos séculos, serão empregadas contra o povo de Deus no conflito final. É nesse tempo cheio de perigos que os seguidores de Cristo terão de anunciar ao mundo a mensagem do segundo advento de Cristo, a fim de preparar um povo “imaculado e irrepreensível” para a volta do Senhor. 2 Pedro 3:14. Então, como nos dias dos apóstolos, a igreja terá necessidade de uma dotação especial da graça e poder divinos.

Mediante a iluminação do Espírito Santo, as cenas do prolongado conflito entre o bem e o mal foram patenteadas à autora destas páginas. De quando em quando me foi permitido contemplar a operação, nas diversas épocas, do grande conflito entre Cristo, o Príncipe da vida, o Autor de nossa salvação, e Satanás, o príncipe do mal, o autor do pecado, o primeiro transgressor da santa lei de Deus. A inimizade de Satanás para com Cristo manifestou-se contra os Seus seguidores. O mesmo ódio aos princípios da lei de Deus, o mesmo expediente de engano, em virtude do qual se faz o erro parecer verdade, pelo qual a lei divina é substituída pelas leis humanas, e os homens são levados a adorar a criatura em lugar do Criador, podem ser divisados em toda a história do passado. Os esforços de Satanás para representar de maneira falsa o caráter de Deus, para fazer com que os homens nutram um conceito errôneo do Criador, e assim O considerem com temor e ódio em vez de amor; seu empenho para pôr de parte a lei divina, levando o povo a julgarse livre de suas reivindicações e sua perseguição aos que ousam resistir a seus enganos, têm sido prosseguidos com persistência em todos os séculos. Podem ser observados na história dos patriarcas, [13] profetas e apóstolos, mártires e reformadores.

No grande conflito final, como em todas as eras anteriores, Satanás empregará os mesmos expedientes, manifestará o mesmo espírito, e trabalhará para o mesmo fim. Aquilo que foi, será, com a exceção de que a luta vindoura se assinalará por uma intensidade terrível, tal como o mundo jamais testemunhou. Os enganos de Satanás serão mais sutis, seus assaltos mais decididos. Se possível fora, transviaria os escolhidos. Marcos 13:22.


A medida que o Espírito de Deus me ia revelando à mente as grandes verdades de Sua Palavra, e as cenas do passado e do futuro, era-me ordenado tornar conhecido a outros o que assim fora revelado — delineando a história do conflito nas eras passadas, e especialmente apresentando-a de tal maneira a lançar luz sobre a luta do futuro, em rápida aproximação. Para alcançar esse propósito, esforcei-me por selecionar e agrupar fatos da história da igreja de tal maneira a esboçar o desdobramento das grandes verdades probantes que em diferentes períodos foram dadas ao mundo, as quais excitaram a ira de Satanás e a inimizade de uma igreja que ama o mundo, verdades que têm sido mantidas pelo testemunho dos que “não amaram suas vidas até à morte”.

Trechos do livro de Ellen G. White " O GRANDE CONFLITO"

terça-feira, 22 de março de 2016

O Medo



"QUESTÃO: Bhagavan, porque sofremos do medo e como podemos nos libertar dele?

"O medo está no centro da existência humana. Ele age como estímulo de todas as outras emoções.

A Natureza, o Universo, projetaram o medo para assegurar a sobrevivência física.

O cérebro inferior ou o cérebro do réptil é responsável por produzir uma reação de luta ou de fuga cada vez que há perigo para sobrevivência física.

À medida em que as civilizações cresceram, as sociedades prosperaram, a vida das pessoas tornou-se segura. A ameaça à sobrevivência física diminuiu.

Daí em diante, o foco mudou para o campo psicológico.

Então surgiu a mente com forte sentido de identidade individual, criando a territorialidade e divisão entre o “Meu e o “Não Meu”.

A mente humana é um mecanismo de sobrevivência, ganhou impulso com o medo como epicentro.

Quase todas as atividades da mente podem ser decifradas desse medo de sobrevivência.

É a mãe de todas as emoções.

Se observamos a raiz do ódio, é o medo de ser dominado ou esmagado que se manifesta como repulsão em relação a alguém.

A inveja, por outro lado, é o medo de ser ultrapassado em uma corrida.

Você se torna violento quando está inseguro ou quando sua estrutura psicológica está ameaçada por uma pessoa ou situação.

Culpa, é o medo de perder a boa imagem que exibe de si mesmo.

As feridas ou dor são, novamente, o medo de perder o amor, o medo de ser rejeitado quando percebe que é um “senhor ninguém” aos olhos de outra pessoa.

Conforme sua consciência cresce sobre o medo, fica claro que é uma mera projeção.

Não há nenhuma verdade.

A mente projeta uma identidade inexistente e luta por protegê-la.

É como um cego buscando um gato negro em um quarto escuro que não existe.

A mente embarcou em uma missão impossível, pois nunca chegará a um estado em que atinja a completa segurança.

Quando você se torna consciente de que o medo é uma mera projeção da mente, então você perde o medo do próprio medo.

O medo não pode ser resolvido; tem de ser dissolvido.

O medo não tem uma significância maior; não tem significado, a menos que você dê.

O entendimento intelectual fracassa ao tentar ajudar na eliminação do medo porque desafia a lógica.

Quando termina todo esforço para entendê-lo você o experienciará totalmente, e isso é liberdade."

por Sri Bhagavan


O MEDO – Krishnamurti


(...)"Considerai agora vosso temor particular. Olhai-o. Observai vossas reações a ele. Podeis olhá-lo sem nenhum movimento de fuga, de justificação, condenação ou repressão? Podeis olhar aquele medo, sem a palavra que causa medo? Podeis olhar a morte, por exemplo, sem a palavra que suscita o medo da morte? A própria palavra produz um estremecimento, não é exato? — assim como a palavra amor produz seu estremecimento, sua imagem peculiar. Pois bem; a imagem que tendes na mente a respeito da morte, a lembrança de tantas mortes a que assististes, e o relacionar a vossa pessoa com tais incidentes — é essa a imagem que está criando o medo? Ou, com efeito, tendes medo do findar e não da imagem que cria o fim? É a palavra morte que vos causa medo ou é o próprio findar? Se é a palavra ou a memória que vos está causando medo, então não se trata realmente do medo."

Estivestes doente há dois anos, digamos, e a lembrança daquela dor, daquela doença, persiste, e a memória, agora em funcionamento, diz: “Tem cuidado, para não adoeceres de novo!” Por conseguinte, a memória, com suas associações, está criando o medo, e isso não é realmente medo, porque, com efeito, neste momento estais gozando perfeita saúde. O pensamento, que é sempre velho — pois o pensamento é reação da memória, e as lembranças são sempre velhas — o pensamento cria, no tempo, a idéia que vos faz medo, a qual não é um fato real. O fato real é que estais bem de saúde. Mas, a experiência, que permaneceu na mente como memória, faz surgir o pensamento “Tem cuidado para não adoeceres novamente”.

Estamos vendo, pois, que o pensamento engendra uma espécie de medo. Mas, separado desse, existe realmente medo? É o medo sempre resultado do pensamento? Se é, existe alguma outra forma de medo? Tememos a morte — uma coisa que acontecerá amanhã ou depois de amanhã, no tempo. Há uma distância entre a realidade e o que será. Ora, o pensamento experimentou esse estado; observando” a morte, ele diz: “Eu vou morrer”. O pensamento cria o medo da morte; e, se não o cria, existe então realmente o medo?

É o medo resultado do pensamento? Se é, uma vez que o pensamento é sempre velho, o medo é sempre velho. Como dissemos, não há pensamento novo. Se o reconhecemos, ele já é velho. Portanto, o que tememos é a repetição do velho— o pensamento sobre o que foi, projetando-se no futuro. Por conseguinte, o pensamento é o responsável pelo medo. Isso é um fato que podeis observar por vós mesmo. Quando vos vedes diretamente em presença de alguma coisa, não há medo. Só quando surge o pensamento é que há medo.

Por conseguinte, perguntamos agora: É possível à mente viver de maneira completa, total, no presente? Só assim a mente não tem medo. Mas, para compreender isso, tendes de compreender a estrutura do pensamento,da memória e do tempo. E, compreendendo-a, não intelectual nem verbalmente, porém de maneira real, com vosso coração, vossa mente, vossas entranhas, ficareis livre do medo; a mente pode então servir-se do pensamento, sem criar medo.

O pensamento, como a memória, é naturalmente necessário ao viver. É o único instrumento de que dispomos para nos comunicarmos, para trabalharmos em nossos empregos etc. O pensamento é a reação da memória, memória acumulada por meio de experiência, do conhecimento, da tradição, do tempo. Desse acúmulo de memória é que provêm as nossas reações, e essas reações constituem o pensar.

O pensamento, portanto, é essencial em certos níveis, porém, quando o pensamento se projeta, psicologicamente, como futuro e como passado, criando o medo bem como o prazer, a mente se embota e, por conseguinte, torna-se inevitável a inércia.

Assim, pergunto a mim mesmo: “Mas por que penso no futuro e no passado em termos de prazer e de dor, quando sei que esse pensamento gera medo? Não é possível o pensamento deter-se, psicologicamente, pois de outro modo o medo nunca terá fim?”

Uma das funções do pensamento é estar continuamente ocupado com alguma coisa. Em geral, desejamos ter a mente continuamente ocupada, para nos impedir de ver-nos como realmente somos. Temos medo de sentir-nos vazios. Temos medo de encarar os nossos temores.

Conscientemente, podeis perceber os vossos temores, mas estais cônscio deles nos níveis mais profundos? E como ireis descobrir os temores ocultos,secretos? Pode o medo dividir-se em consciente e inconsciente? Esta é uma pergunta muito importante. O especialista, o psicólogo, o analista, dividiram o medo em camadas profundas e camadas superficiais, mas, se fordes seguir o que diz o psicólogo ou o que eu digo, tereis a compreensão de nossas teorias, de nossos dogmas, de nossos conhecimentos, mas não tereis a compreensão de vós mesmos.

Não podeis compreender-vos de acordo com Freud, Jung, ou de acordo comigo. As teorias de outras pessoas não têm importância alguma. É a vós mesmo que deveis perguntar se o medo pode ser dividido em consciente e subconsciente. Ou só existe medo, que traduzis de diferentes maneiras? Só existe um desejo; só há desejo. Vós desejais. Os objetivos do desejo variam, mas o desejo é sempre o mesmo. Assim, talvez, da mesma maneira, só existe o medo. Tendes medo de uma porção de coisas, mas só existe um medo.

Ao perceberdes que o medo não pode ser dividido, vereis que acabastes com o problema do subconsciente, pregando um logro aos psicólogos e aos analistas. Ao compreenderdes que o medo é um movimento único que se expressa de diferentes maneiras, e ao verdes o movimento e não o objetivo a que se dirige, estareis então em presença de uma questão imensa: Como olhar o medo sem a fragmentação que a mente cultivou?

So há o medo total, mas como pode a mente que pensa fragmentariamente observar esse quadro total? Pode observá-lo? Temos levado uma vida de fragmentação e só somos capazes de olhar o medo através do processo fragmentário do pensamento. Todo o processo do mecanismo do pensamento é dividir tudo em fragmentos: Eu te amo e eu te odeio; tu és meu amigo, tu és meu inimigo; minhas idiossincrasias e inclinações, meu emprego, minha posição, meu prestígio, minha mulher, meu filho, minha pátria e tua pátria, meu Deus e teu Deus— tudo isso é fragmentação do pensamento. E o pensamento olha o estado atual de medo, ou tenta olhá-lo, e o reduz a fragmentos. Vemos, por conseguinte, que a mente só pode olhar esse medo total quando não há movimentação do pensamento".(...)


Autor:Krisnamurti Fonte:http://gitasatya.wordpress.com

http://mara-mariangela.blogspot.com.br

quarta-feira, 16 de março de 2016

LIVRO KOLBRIN - A CRIAÇÃO



CRIAÇÃO

Conhecimento mortal está circunscrito pela ignorância mortal, e compreensão mortal é circunscrita pela realidade espiritual. Não é sensato que o homem mortal para tentar a compreensão do que está além da sua concepção, pois aí reside a estrada à descrença e loucura. No entanto, o homem é homem e sempre fadado a ir além si mesmo, se esforçando para alcançar as coisas que sempre escapam de seu alcance. Então, em sua frustração que ele substitui o vagamente vista incompreensível com as coisas dentro de sua compreensão. Se estas coisas, mas mal refletem a realidade, então não é o reflexo da realidade, distorcida que possa ser, de maior valor do que nenhum reflexão em tudo?

Não há verdadeiro início na Terra, pois aqui tudo é efeito, o máximo Porque estar em outro lugar. Para que entre os homens pode dizer o que veio primeiro, a semente ou a planta? Mas na verdade não é nem, por algo que nem semente, nem planta precedida ambos, e essa coisa foi também precedida por outra coisa. Sempre lá são ancestrais de volta ao início, e de volta para além de só existe Deus. Este, então, é como essas coisas foram contadas em O Grande Livro dos Filhos do Fogo.

Antes do início havia apenas uma consciência, a do Eterno cuja natureza não pode ser expresso em palavras. Era o único Sole Espírito, O Auto Gerador que não pode diminuir. O Desconhecido, Incognoscível Um solitário, ninhada em profundo silêncio, grávida.

O nome que é pronunciado não pode ser que desse Grande Ser que, permanecendo sem nome, é o começo e o fim, além do tempo, além do alcance de mortais, e nós em nossa simplicidade chamá‐lo de Deus. Aquele que precedeu todos existia sozinho em sua estranha morada da luz incriada, que permanece sempre inextinguível, e nenhum olho compreensível jamais pode contemplá‐la. Os rascunhos pulsantes da luz a vida eterna em Sua guarda ainda não foram soltos.

Conhecia‐se sozinho, ele foi incontraste, incapaz de se manifestar em nada, para todos dentro do Seu Ser, um potencial não expresso. Os Grandes Círculos da Eternidade estavam ainda a ser girados para fora, para serem jogados fora, com as intermináveis idades de existência em substância. Eles deveriam começar com Deus e regresso a Ele concluída em infinita variedade e expressão.

A Terra ainda não existia, não havia ventos com o céu acima deles; altas montanhas não foram levantadas, nem foi o grande rio em seu lugar. tudo estava sem forma, sem movimento, calma, silêncio, vazio e escuro. Nenhum nome tinha sido nomeado e sem destinos prenunciados. Descanso eterno é intolerável, e potencial não manifestado é a frustração. Na solidão de intemporalidade pode Divina Solidão e desta surgiu o desejo de criar, para que pudesse conhecer e expressar‐se, e isso gerou o amor de Deus. Ele tomou o pensamento e trazido à existência dentro de si mesmo o Útero Universal da Criação contendo a essência eterna de adormecido espírito.

A essência foi vivificada por uma ondulação da mente de Deus e um criativo pensamento foi projetado. Isso gerou o poder que produziu luz, e este formada uma substância semelhante a uma névoa de poeira invisível. É dividido em duas formas de energia através sendo impregnado com o Espírito de Deus e, acelerando o caos do vazio dentro do útero Universal, tornou‐se girado para fora em redemoinhos de substância. A partir desta atividade, como faíscas de um incêndio, veio uma variedade infinita de mentes espirituais, cada um com poderes criativos dentro de si.

A palavra ativando foi falada, seus ecos ainda vibrando, e houve um agitação, movimento que causou instabilidade. A ordem foi dada e isso se tornou a Lei Eterna. Daí em diante, a atividade foi controlada em ritmo harmonioso e a inércia inicial foi superada. A lei dividiu o caos materializando de Deus e, em seguida, estabeleceu os limites das esferas eternas.

O tempo já não dormia no seio de Deus, pois agora havia uma mudança onde antes tudo tinha sido imutável, e mudança é o tempo. Agora dentro do útero Universal foi calor, substância e vida, e abrangendo era a Palavra que é a Lei. A ordem foi dada: "Deixe a menor das coisas formar a maior e que que vive, mas um para sempre durável na forma de flash. "Assim, o universo surgiu como uma condensação do pensamento de Deus, e como fez para que ele obscurecida ele de todos os fechada dentro de Sua criação solidificação. Daí em diante, Deus estava escondido,pois Ele tem sempre se manteve vagamente refletida em Sua criação. Tornou‐se velado de tudo o que saiu Dele.

Criação não se explica, sob a Lei não pode fazê‐lo, seus segredos têm de ser desvendado pela criado. Todas as coisas são por natureza finita, elas têm um começo, um meio e um fim. A propósito inacabável seria frustração eterna e, portanto, o universo que está sendo criado propositadamente ele deve ter um objetivo. Se ele terminou sem qualquer outra coisa seguinte, então o Deus existente deve dormir indiferente às suas atividades. Mas ele tem feito um trabalho vivo da grandeza operando sob a Lei imutável.


A palavra criação tinha sido falada, agora havia outro comando e o poder saindo feriu o sol assim que seu rosto estava iluminado e brilhou com uma grande radiância derramando calor e luz em cima de sua irmã Terra. Daí em diante, ela iria viver dentro da proteção da casa de seu irmão, regozijando‐se na sua benevolência e força. As águas sobre o seio da terra estavam reunidos e terra seca apareceu. Quando a cobertura de água foi rolada para trás o corpo de Terra era instável, úmido e produzindo. O rosto do sol brilhava com bondade para sua irmã e seco terra de seu corpo tornou‐se muito difícil, umidade e umidade foram levados. Ele deu‐lhe um manto de lã e um véu de linho fino, de que ela pudesse vesti‐la corpo com modéstia.

A partir do Grande Útero tinha saltado o Espírito da Vida e era galopante no Céus. Ele olhou sobre a Terra e viu sua justiça, e ficou cheio de desejo, e saiu dos espaços celestes para possuí‐la. Não veio pacificamente como uma amante, mas tempestuosamente como um destruidor. Sua respiração uivava ao longo de seus corredores e travada entre seus cumes das montanhas, mas não descobrir a morada do seu Espírito. Ela tinha se retirado, como uma mulher se retira antes vigor, para a modéstia deve não estar indignado em submissão. No entanto, ela desejava seu abraço.

O sol viu sua perplexidade e ele lutou com o Espírito da Vida e venceu isto. Quando foi subjugado e a luta primordial tinha cessado, foi entregue por sol para sua irmã. Foi castigado e acalmado e em silêncio pairava sobre as águas da Terra, e ela foi agitada em resposta. ovos de lama de potencial de vida foram formados em pântanos, nos locais de reunião de terra e duas águas. O sol deu calor e vida acelerou e rastejou adiante em cima do seio da Terra. A poeira da terra produziu o macho e a névoa de água escura do sexo feminino, e eles se uniram e se multiplicaram. O primeiro deu à luz o segundo e os dois produziram o terceiro. A Terra não era mais virgem e o Espírito da Vida envelheceu e partiu. Terra ficou vestida no manto da dama de verde, forragem cobriu a face da terra. As águas produziram peixes e criaturas que se movem sobre ela e torcem ‐se e contorcem nas águas, as serpentes e os animais de terrível aspecto que eram de outrora, e répteis que se introduzem e rastreamento. Não eram altos andando, e as coisas e dragões em forma hedionda vestido de terror, cuja grande ossos ainda podem ser vistos.

Em seguida, saiu do ventre da terra todos os animais do campo e floresta. Todas as criaturas da criação ter sangue em seus corpos, e foi completo. Batimentos percorriam a terra seca e os peixes nadavam nos mares. Havia pássaros nos céus e vermes dentro do solo. Havia grandes massas de terra e montanhas altas, lugares áridos largas e arfante águas. Verdor fértil cobriram a terra e vida abundante invadiram os mares, por agora Terra pulsava com a energia da vida. Metais estava escondido em suas rochas e pedras preciosas no interior do solo. ouro e prata foram dispersos e segregada. Houve cobre para ferramentas e floresta de madeira. Havia pântanos de juncos e pedra para qualquer uso. Tudo foi preparado, tudo estava pronto, e agora Terra aguardava a vinda do homem.


O NASCIMENTO DO HOMEM

O amor de Deus penetrou o terceiro véu e tornou‐se o Seed of Souls dentro Mar Alma. O corpo do homem, Deus feito de água e as coisas da Terra, respirando nele o Espírito da Vida, para que pudesse viver. Mas o homem, quando jovem,vivia apenas para comer e beber e fornicar, para, sendo consciente apenas do Terra, ele sabia apenas as coisas terrenas e as formas terrenas. Ora, o Espírito de Deus se movia sobre a face da Terra, mas não era da Terra. Considerou todas as coisas e estava em todas as coisas, mas na Terra não poderia ser separados de qualquer coisa. Considere o que foi dito pelos servos de Eban, de Heavenman ( Homem do céu) que uma vez vagou na terra, Ele não tinha nenhuma substância terrena e não podia compreender os seus frutos, pois ele não tinha mãos. Ele não podia beber suas águas, pois ele não tinha boca,nem ele podia sentir o vento fresco sobre a sua pele. Eles contam como o macaco tribo Selok, liderado pelo homem do céu pereceram pelas chamas antes do Vale de Lod, apenas uma macaca alcançou as alturas, caverna acima. Quando Heavenman renascesse da macaca na caverna de Ai, ele poderia provar os frutos da terra e beber de suas águas, e sentir o frescor de sua ventos? Será que ele não encontrar a vida boa? Não é tudo um conto do pátio! O homem, criado a partir substância terrena sozinho, não podia saber que as coisas não da Terra, nem poderia Espírito sozinho dominá‐lo. Tinha o homem, não foi criado, que teria sabedoria e o poder de Deus? À medida que o Espírito enche o corpo do homem, o mesmo acontece com Deus preenchendo Sua criação. Portanto, era que Deus viu algo que tinha que ser aderido da Terra e do Espírito e foi ambos. Em Sua sabedoria e pelo impulso criativo que governa a Terra, Ele preparou um corpo para o homem, para que o corpo do homem fosse inteiramente da Terra.

Eis que o grande dia chegou quando o Espírito, que é Deus, juntou‐se com a besta, que é a Terra. Então a terra se contorcia no trabalho de parto. Dela montanhas balançava para frente e para trás e seus mares soltou cima e para baixo. terra gemeu em suas terras e gritou de seus ventos. Ela chorou nos rios e chorou em seu tempestades. Assim, o homem foi carregado, carregado de turbulência e conflitos. Ele veio miseravelmente e tumultuosa, a prole de uma Terra perturbada. Tudo estava em desacordo, a neve caiu nas terras quentes, o gelo cobriu as planícies férteis, as florestas se tornou mares. Onde uma vez que estava quente, agora era frio e onde nenhuma chuva já tinha caído, agora foram cheias. Assim, o homem saiu, o homem a criança de calamidade, o homem o herdeiro da luta criativa, o homem o campo de batalha de extremos. Terra alimentada homem com carinho cauteloso, desmame‐lo nos recessos de sua corpo. Então, quando ele estava crescido o suficiente para ser levantado para que ele andou no retidão de Deus, ela levou‐o e levantou‐lo acima de todas as outras criaturas. Ela levou‐o até à presença de Deus e ela deitou‐o sobre Seu Grande Altar. O imperfeito homem, de limitações terrenas, uma coisa inacabada, deselegante e inculto, mas orgulhosamente foi apresentado ao Criador da Terra. Não seu primeiro nascido.

Foi o homem, o filho da Terra, o neto de Deus, o homem o herdeiro da tribulação e o aluno da aflição. Deus viu o homem, a oferta de terra ao seu Senhor, inconsciente no altar‐mor, um sacrificar a Ele e uma dedicação ao Espírito do Destino. Em seguida, a partir de fora do alturas insondáveis e por trás do véu impenetrável, Deus desceu acima Altar e Ele soprou no homem o fôlego da Vida Eterna. Em seu sono corpo Deus implantou um fragmento de Si mesmo, a Semente de uma alma e a centelha de Divindade, um homem que é mortal se fez homem o herdeiro de Deus e herdeiro da imortalidade. Doravante, ele teria domínio sobre propriedade terrena de Deus, mas ele também teve que desvendar os Círculos da Eternidade, e seu destino era para ser um busca eterna e esforço.

O homem dormia, mas Deus abriu o Grande Olho dentro dele e o homem teve uma visão de glória insuperável. Ele ouviu a voz de Deus dizendo: "O homem, em sua mão é agora colocou o tablet da tua herança, e meu selo é sobre ele. Saiba que tudo que você deseja dentro de seu coração pode ser seu, mas primeiro é necessário que você esteja ensinou seu valor. Eis que a Terra está cheia de coisas de utilidade, eles são preparados para a sua mão para um propósito, mas a tarefa é em cima de você procurá‐los e aprender a sua utilização. Esta é a taxa de matrícula para a gestão do seu herança."

"O que você sabe que é bom, busque e ele será encontrado. Você pode sondar os mares e arrancar as estrelas. Você pode viver na glória eterna e saborear eterna deleite. Acima e abaixo e tudo sobre não há nada além de seu alcance; todos, com uma exceção, é sua a atingir ". Então Deus colocou a mão sobre o homem, dizendo: "Agora você está assim como eu, exceto que você dormir lá fechado em matéria do Kingdom of Illusion, enquanto eu moro aqui na liberdade da realidade e da verdade. isto não é para mim vir abaixo para você, mas para que você possa chegar a mim ".

O homem, em seguida, teve uma visão de glória abrangendo até mesmo as esferas de Esplendor.Sabedoria ilimitada encheu seu coração e ele viu beleza na perfeição. O ultimates da Verdade e da Justiça foram revelados para ele. Ele se tornou um com o paz profunda da eternidade e sabia as alegrias de alegria incessante. As idades eternas do tempo desenrolou como um pergaminho diante de seus olhos, e viu escritos sobre tudo o que viria a se tornar e ocorrem. Os grandes cofres do Céu abriram‐se‐lhe e ele viu o fogo eterno e poderes não consumíveis que se esforçou nele. Ele sentiu dentro de si a agitação de amor inexprimível,e projetos ilimitados de grandeza encheu seus pensamentos. Seu espírito variaram sem entraves através de todas as esferas da existência. Ele foi, então, como também Deus em Si mesmo, e ele sabia o segredo das Sete Esferas dentro de três esferas.

Então Deus levantou a mão do homem e o homem estava sozinho. A grande visão partiu e ele acordou, apenas uma vaga lembrança e evasivo, não mais do que a sombra de um sonho permaneceu. Mas nas profundezas da alma a dormir havia uma centelha de lembrança e que gerou dentro do homem um desejo inquieto porque não sabia o quê.

Daí em diante, o homem estava destinado a vagar descontente, buscando algo que ele sentiu ele sabia, mas não podia ver, algo que sempre lhe escapava, perpetuamente incitou‐o, e para sempre atormentado ele. Profundamente dentro de si mesmo o homem sabia que algo maior do que ele estava sempre com ele e era parte dele, estimulando‐o a maiores obras, maiores pensamentos, maiores aspirações. Era algo fora além de si mesmo, mal percebeu e nunca encontrou; algo que lhe disse que o brilho visto no horizonte, mas vagamente refletindo a glória escondida além dele.

O homem acordou, a revelação e visão tinham ido, somente a dura realidade da Terra vastidão selvagem o rodeava. Mas quando ele se levantou e deu um passo para baixo na seio de sua Mãe Terra, ele não se intimidou com as grandes potências que o assediavam ou pela magnitude da tarefa adiante. Dentro de seu coração, ele sabia que o destino havia além a miséria de seu ambiente, ele saiu com nobreza, de bom grado aceitar a desafio. Ele agora era um novo homem, ele era diferente. Ele olhou para cima e viu a glória nos Céus. Ele viu beleza sobre ele e ele sabia que a bondade e as coisas não da Terra. A visão de valores eternos surgiu de seu olho interior. Seu Espírito estava respondendo ao seu ambiente, o homem era agora o homem, verdadeiramente homem.

A natureza do homem na Terra foi formada após a natureza das coisas no céu, e homem tinha todas as coisas contidas em potencial dentro de si mesmo, a não ser a vida divina. Mas ele ainda era uma criança destreinada, indisciplinada, ainda alimentada mediante simples o seio de consolação da Terra.

Homem cresceu em estatura, mas a Terra não era indulgente, pois ela disciplinava ele firmemente. Ela era sempre rigorosa e inflexível, castigando‐o muitas vezes com rajadas de desagrado. Foi, aliás, a educação daqueles destinado à grandeza; ele era feito para sofrer frio, para que pudesse aprender a vestir‐se; enviou a lugares estéreis lupara que seus membros fossem reforçados, e em florestas, que seu olho tornar‐se afiado e seu coração forte. Ele estava perplexo com o difícil problema de definir a tarefa de desvendar as ilusões da Natureza. Ele foi assolado com dificuldades de cada descrição. Ele foi testado com frustrações e tentado com tentações; Nunca tinha a Terra relaxado a vigilância de sua supervisão. A criança foi levantada com firmeza, pois ele precisava de fortaleza, coragem e astúcia de um homem, a preparar‐se para a tarefa adiante. Ele cresceu astuto e de arame na caça; ele tornou‐se adaptável, capaz de lidar com qualquer acontecimento nocivo. Superando confusões dos primeiros dias ele encontrou explicações para as perplexidades de seus arredores. No entanto, a luta pelo conhecimento, a necessidade de adaptação e esforço para sobreviver nunca foi descontraído. O Earthchild ( criança da terra ) foi bem treinado e disciplinado, ele nunca foi indevidamente paparicado. Ele clamou por pão e foi com fome, ele estremeceu e foi expulso, ele estava doente e conduzido para dentro da floresta.

Cansado ele estava amarrado com tempestades, sedento ele encontrou os mananciais secos. Quando fraco sua carga foi aumentada e no meio de regozijo foi derrubado com tristeza. Em momentos de fraqueza, ele gritou: "Basta!" e duvidou seu destino;mas sempre algo fortificava e encorajava‐o, o Earthling nunca havia perdido sua própria divindade.

Para o homem era o homem, ele não estava intimidado, nem o seu espírito quebrado; um Deus sábio sabia de suas limitações. Como está escrito na sabedoria dos homens ", sobre o castigo é tão ruim como nenhum castigo dado á outros '. Mas o homem raramente era castigado, ele foi experimentado, testado e desafiou; ele foi levado, incitado e pediu, ainda nada havia sido feito desnecessariamente. As imperfeições aparentes da Terra, os perigos e desigualdades da vida, a crueldade, dureza e aparente indiferença para sofrimento e aflição não são o que parecem; como é, terra é perfeito para seu propósito. É a ignorância desse propósito que faz parecer imperfeito. Onde é que há um pai sábio do que o Espírito de Deus, ou uma mãe melhor do que Terra? Qual é o homem agora ele tem para com estes, ele pode aprender a ser devidamente grato. Acima tudo, que ele nunca se esqueça as lições aprendidas em sua educação.

http://www.incapabledesetaire.com/edito2/Kolbrinm.htm